A VALORIZAÇÃO DAS CULTURAS INFANTIS ATRAVÉS DAS BRINCADEIRAS IMAGINATIVAS.

Autores

  • Susana Angelin Furlan
  • Denise Watanabe
  • Nathalia Franco Alves
  • José Milton De Lima

Palavras-chave:

Criança, Imaginação, Brincadeiras, Infância, Sociologia da infância.

Resumo

Este artigo é um recorte de uma pesquisa de Iniciação Científica (IC), cujo título “No mundo da criança: resgatando a fantasia do real no contexto da Educação Infantil”, teve início em 2011 em algumas salas de Educação Infantil de uma escola no interior paulista, ao constatar que havia uma carência de saberes referentes à imaginação infantil. A partir desse fato, buscou-se estimular e ampliar a imaginação infantil - por vezes latente - por meio de brincadeiras; de músicas; de representações; de personagens imaginários (Lipe e Luci) e de brinquedos. Fundamentada na Sociologia da Infância, a pesquisa adotou a abordagem de natureza qualitativa e a metodologia da pesquisa-intervenção, com vistas a levantar reflexões teóricas e práticas que colaborassem com transformações na realidade. Como resultados, destacam-se: maior expressão imaginativa das crianças e efetiva participação das professoras - em todas as brincadeiras e atividades propostas pelos pesquisadores bolsistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-05-29

Como Citar

Angelin Furlan, S., Watanabe, D., Alves, N. F., & De Lima, J. M. (2017). A VALORIZAÇÃO DAS CULTURAS INFANTIS ATRAVÉS DAS BRINCADEIRAS IMAGINATIVAS. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 13(4), 11–15. Recuperado de https://journal.unoeste.br/index.php/ch/article/view/1838

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)