FACÇÕES CRIMINOSAS: O CASO DO PCC - PRIMEIRO COMANDO DA CAPITAL

Autores

  • Paula dos Santos Bigoli Universidade do Oeste Paulista – UNOESTE
  • Eduardo Buzetti Eustachio Bezerro Universidade do Oeste Paulista – UNOESTE

Palavras-chave:

Crime organizado. Facções Criminosas. PCC. Violência. Presídios

Resumo

Este artigo elucida as teorias sobre o surgimento de uma das maiores organizações criminosas do Brasil: o Primeiro Comando da Capital – PCC. Criado na Casa de Custódia de Taubaté-SP por presos que prometiam lutar a favor de seus direitos e contra a opressão do Estado que tinha total descaso com a situação dos presídios do país: superpopulação carcerária, condições desumanas, castigos cruéis e outros fatores foram determinantes para que a revolta fosse instaurada. Ao longo dos 20 anos de sua história, o PCC construiu um império do crime, eliminando seus inimigos, aliando-se a outras facções e conquistando soldados que são fiéis aos mandamentos do “partido”, que praticamente monopoliza o crime, tendo em São Paulo, poucos concorrentes a altura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-05-26

Como Citar

Bigoli, P. dos S., & Bezerro, E. B. E. (2015). FACÇÕES CRIMINOSAS: O CASO DO PCC - PRIMEIRO COMANDO DA CAPITAL. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 11(3), 71–84. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/ch/article/view/1209