FOTONARRATIVAS DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS: UMA ANÁLISE SOBRE AS PERCEPÇÕES DE GÊNERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Autores

  • Raquel Batista UFSCAR
  • Bárbara Cristina Moreira Sicardi Nakayama UFSCAR

Palavras-chave:

Prática pedagógica; Gênero; Infância, Educação Infantil; Fotonarrativas.

Resumo

Graduação em Educação na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) - Campus de Sorocaba. Tendo como objeto de estudo a prática pedagógica da pesquisadora e de três professoras da Educação Infantil a pesquisa buscou responder o seguinte questionamento: Quais percepções de gênero se revelam nas práticas pedagógicas das professoras de Educação Infantil? Para responder tal questão o estudo estruturou-se dentro da perspectiva qualitativa e utilizou-se como produção de dados a construção de narrativas (oral e escrita) a partir de fotografias da prática pedagógica das docentes participantes da pesquisa. Os resultados evidenciam que as percepções sobre de gênero das professoras pesquisadas em alguns momentos demonstram priorizar aspectos biológicos em outros aspectos sociais, no entanto existe por parte delas a intenção consciente de romper com certos modelos hegemônicos e promover práticas promotoras de equidade de gênero.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bárbara Cristina Moreira Sicardi Nakayama, UFSCAR

Pós-doutoranda - bolsista CNPq em Educação pela PUC-SP. Doutora em Educação (2008) pela Universidade Estadual de Campinas. Mestre em Educação (2000) e Graduada em Pedagogia (1997) pela Universidade Federal de São Carlos. Experiência na área de Educação, em cursos de graduação e especialização Lato-Sensu presenciais e EaD, com ênfase em Didática, Metodologia e Prática de Ensino e Educação Matemática atuando principalmente nos seguintes temas: Narrativas, Formação de Professores e trabalho Docente, Estágio e Docência, Pesquisa e Ensino e Educação Matemática. Atualmente é professora na Universidade Federal de São Carlos - Campus Sorocaba, ministrando aulas nos cursos de Licenciatura e Mestrado Acadêmico em Educação. Atuou como Coordenadora Institucional do Programa de Apoio aos Laboratórios Interdisciplinares de Formação de Educadores - LIFE UFSCar e do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência - PIBID UFSCar. Lidera o Núcleo de Estudos e Pesquisas "Narrativas, Formação e Trabalho Docente"

Referências

ABRAMOWICZ, A. O direito das crianças à Educação Infantil. Pró-posições. Campinas: v.14, n.3, set/dez.2003.
AVILA, M. J. F. As professoras de crianças pequenininhas e o cuidar e o educar. (Dissertação de Mestrado). Faculdade de Educação da UNICAMP, 2002.
BATISTA, R.A. Fotonarrativas e percepções de professoras da Educação Infantil sobre gênero: uma análise a partir das práticas pedagógicas. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal De São Carlos, Campus Sorocaba, 2018.
CAVALCANTI, Thiago. Percepção, Concepção e Comportamento Individual. Grupo de Estudos Gestão Total. 2013 http://grupodeestudosgt.blogspot.com.br/2013/06/percepcao-concepcao-e-comportamento.html-comportamento.html> acesso em 09 de set. de 2017.
CUNHA, Marcia Borin da. A percepção de ciência e tecnologia dos estudantes do ensino médio e a divulgação cientifica. 2009. 363 f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.
CUNHA, Márcia Borin da, GIORDAN, Marcelo. Pesquisas de Percepções e concepções de Ciência e a necessidade de um referencial teórico. 33a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química. Águas de Lindóia, São Paulo, 2010.
__________. As Percepções na Teoria Sociocultural de Vigotski: uma análise na escola. Alexandria Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v.5, n.1, p.113-125, maio 2012. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/alexandria/article/viewFile/37700/28870. Acesso em setembro de 2017.
BRASIL. LDB. Lei de diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9394 de 20/12/1996.
FARIA, A. L. G. (Orgs). O Coletivo infantil em creches e pré- escolas: falares e saberes. São Paulo: Cortez, 2007.
FINCO, D. Relações de gênero nas brincadeiras de meninos e meninas na educação infantil. Pro – Posições, Campinas SP, volume 14, nº 3, 89-101, 2003.
_________. Faca sem ponta, galinha sem pé, homem com homem, mulher com mulher: relações de gênero nas relações de meninos e meninas na pré-escola. (Dissertação de Mestrado) Faculdade de Faculdade de Educação da UNICAMP, 2004.

__________ Educação Infantil Espaços de confronto e convívio com as diferenças: Analise das interações entre professoras e meninos e meninas que transgridem as fronteiras do gênero. Tese (Doutorado). Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.
JOSSO, M. C. Da formação do sujeito... ao sujeito da formação. In NÓVOA, A. e FINGER, M. (orgs). O método (auto) biográfico e a formação. Portugal/Lisboa: Pentaedro, Tradução: Maria Nóvoa, Centro de Formação e Aperfeiçoamento Profissional, 1988, p.35-50 (Cadernos de Formação).
_______________. Experiências de vida e formação. São Paulo: Cortez, 2004.
_______________. A transformação de si a partir da narração de histórias de vida. Educação. Porto Alegre/RS, n. 3 (63), p. 413-438, set./dez. 2007.
LEITE, César Donizete Pereira. Infância, experiência e tempo. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011.
LUDKE, M.; ANDRE, M. E. D. A. Pesquisa em Educação: Abordagens Qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.
MORENO, M. Como se ensina a ser menina, o sexismo na escola. Campinas: Ed. Moderna, 1999.
NÓVOA, A. (Orgs). Vida de Professores. Porto, Portugal. Ed. Porto, 1995.
SAYÃO, D. T. Pequenos homens, pequenas mulheres? Meninos e meninas? Algumas questões para pensar as relações de gênero na infância. Pró-posições. Campinas: v.14, n.3, set/dez.2003.
SCOTT. J. Gênero uma categoria útil para análise histórica 1995. Disponível em http://wesleycarvalho.com.br/wp-content/uploads/G%C3%AAnero-Joan-Scott.pdf. Acesso em 10 de ago. de 2012.

SICARDI, B. C. M. Biografias educativas e o processo de constituição profissional de formadores de professores de matemática. Campinas, SP:, 2008.Tese (doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação. UNICAMP, 2008.

SICARDI NAKAYAMA, B. C. M. Leitura e produção do conhecimento e a potencialidade heurística das narrativas educativas. In: NUNES, C. M. F.; ARAUJO, R. M. B. de. (orgs.) Narrativas de Professores em Formação: O Significado de ser Pedagogo. Jundiaí, Paco Editorial: 2015.

TITTONI, J.; OLIVEIRA, R. G. de; SILVA, P. M. da; TANIKADO, G. A Fotografia na Pesquisa Acadêmica: sobre visibilidades e possibilidades de conhecer. Informática na Educação: teoria & prática, Porto Alegre, v. 13, n. 1, p. 59-66, jan./jun. 2010.
VIANNA, C.; FINCO, D. Meninos e meninas na Educação Infantil: uma questão de poder. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cpa/n33/10.pdf. Acesso em dezembro de 2017.

Downloads

Publicado

2019-11-20

Como Citar

Batista, R., & Sicardi Nakayama, B. C. M. (2019). FOTONARRATIVAS DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS: UMA ANÁLISE SOBRE AS PERCEPÇÕES DE GÊNERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 16(3), 34–46. Recuperado de https://journal.unoeste.br/index.php/ch/article/view/3298

Edição

Seção

DOSSIÊ: RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS, GÊNERO E EDUCAÇÃO