PRESIDENTE PRUDENTE-SP E A CARÊNCIA DE POLÍTICA HABITACIONAL INCLUSIVA

Autores

  • Sibila Corral de Area Leao Honda UNOESTE

Palavras-chave:

Política Urbana, Expansão Urbana, Segregação Socioespacial, Habitação de Interesse Social, Programa de Arrendamento Residencial

Resumo

Este artigo visa a contribuir para uma análise crítica sobre a produção da habitação de baixa renda pela iniciativa privada em cidades médias no Brasil, entre os anos 1999 e 2008, verificando seus efeitos no espaço urbano. Aborda o papel dos municípios, pós-Constituição Federal de 1988, com ênfase no Programa de Arrendamento Residencial (PAR), instituído em 1999 pelo Governo Federal; e tem como estudo de caso Presidente Prudente, município localizado no oeste do Estado de São Paulo. Foca a discussão na relação entre as políticas urbanas e habitacionais, assim como na implantação de empreendimentos executados pela iniciativa privada e financiados pela Caixa Econômica Federal, por meio do PAR, e seus mecanismos e efeitos na produção do espaço urbano. Evidencia-se a ausência de diretrizes específicas voltadas para a política habitacional no âmbito da política urbana deste município, induzindo a uma atuação direta do capital privado, que contribui para a produção de espaços urbanos segregados e excludentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sibila Corral de Area Leao Honda, UNOESTE

Arquiteta e Urbanista pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, Mestre em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, Doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Coordenadora do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE.

Downloads

Publicado

2016-04-01

Como Citar

Honda, S. C. de A. L. (2016). PRESIDENTE PRUDENTE-SP E A CARÊNCIA DE POLÍTICA HABITACIONAL INCLUSIVA. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 12(4), 01–18. Recuperado de https://journal.unoeste.br/index.php/ch/article/view/972