A ESCASSEZ DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NO SISTEMA EDUCACIONAL BRASILEIRO

Autores

  • Leonardo Alves de Melo Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Josélia Galiciano Pedro UNOESTE

Palavras-chave:

Educação Financeira, Sistema Financeiro, Sistema Educacional Brasileiro

Resumo

A atual conjuntura econômica está exigindo cada vez mais que os indivíduos tenham conhecimentos e habilidades financeiras para manterem-se estáveis financeiramente, porém em contrapartida, atualmente duas em cada três pessoas no mundo são consideradas analfabetos financeiros, ou seja, enquanto o cenário exige cada vez mais das pessoas, estas têm chegado à fase adulta sem os conhecimentos básicos necessários, e no Brasil isso não é diferente. Neste contexto é notável a necessidade de inserção do ensino financeiro no sistema educacional, a fim de que, trabalhando este tema com os indivíduos desde a infância, tenha-se no futuro, adultos mais bem preparados. O objetivo geral do projeto de pesquisa foi realizar uma abordagem sobre educação financeira nos níveis básico, médio e superior, pois no Brasil, bem como no mundo, os índices de educação financeira refletem uma realidade onde a maioria dos indivíduos não possui controle de suas finanças. A metodologia foi pautada na pesquisa exploratória, com abordagem qualitativa e a coleta de dados foi através da base de dados Scientific Periodicals Electronic Library - SPELL. Por fim, o estudo identificou que para mudar a realidade do Brasil no que diz respeito aos índices de educação financeira deve-se inserir a temática na grade curricular de escolas e faculdades e trabalhar o assunto com todas as camadas da população, ou seja, jovens e adultos.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

ARAÚJO, A. P.; PEIXOTO, F. M.; JESUKA, D.; FAGUNDES, A. F. A. Os efeitos do gênero, da educação financeira e da interação social nas escolhas do investidor brasileiro. Revista de Administração Unimep, Lins, v. 19, n. 3, p, 1 - 26, set. 2021.

CARDANO, M. Manual de pesquisa qualitativa: a contribuição da teoria da argumentação. 1. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2017.

CARNEIRO, M. T.; SILVA, L. A. C.; AMARAL, H. F.; PAIVA, F. D. Educação financeira: uma análise das publicações em periódicos brasileiros no período de 2003 a 2018. Revista Gestão e Planejamento, Salvador, v. 23, n. 1, p. 490 - 509, jan./dez. 2022. https://doi.org/10.53706/gep.v.23.7068

CARRARO, W. B. W. H.; MEROLA, A. Percepções adquiridas numa capacitação em educação financeira para adultos. Revista Gestão e Planejamento, Salvador, v. 19, n. 1, p. 414 - 435, jan./dez. 2018.

CORDEIRO, N. J. N.; COSTA, M. J. V.; SILVA, M. N. Educação financeira no Brasil: uma perspectiva panorâmica. Ensino da matemática em debate, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 69 - 84, jun. 2018.

COSTA, C. M.; MIRANDA, C. J. Educação financeira e taxa de poupança no Brasil. Revista de gestão, finanças e contabilidade, Salvador, v.3, n. 3, p. 57 - 74, set./dez. 2013.

DIAS, E. P.; SANTOS, M. A importância da educação financeira nos conteúdos curriculares dos cursos. Revista Eletrônica Gestão e Serviços, v. 11, n, 2, p. 3167 - 3188, jul./dez. 2020. https://doi.org/10.15603/2177-7284/regs.v11n2p3167-3188

FLICK, U. Desenho da pesquisa qualitativa. São Paulo: Artmed Editora S.A. Grupo A, 2009.

FORTE, C. M. J. O papel da AEF-Brasil na execução da Estratégia Nacional de Educação Financeira. In: FORTE, C. (org.). Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF): em busca de um Brasil melhor. 2.ed. São Paulo: Riemma, 2021. p. 30 - 59. https://doi.org/10.52343/riemmaeditora.978-65-00-16994-2.2

GIL. A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2019.

GODOI, A. C.; TINÉ, S. Z. S. A educação financeira, a BNCC e o currículo: contextos e desafios das escolas públicas brasileiras. In: FORTE, C. (org.). Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF): em busca de um Brasil melhor. 2.ed. São Paulo: Riemma, 2021. p.78 - 113.

GUIMARÃES, T. M.; IGLESIAS T. M. G. Educação financeira: um estudo comparado entre os estudantes do ensino médio de um instituto federal de Minas Gerais. Revista de gestão, finanças e contabilidade, Salvador, v. 11, n. 1, p. 94 - 111, jan./abr. 2021. https://doi.org/10.18028/rgfc.v11i1.9486

MEDEIROS, G. L. B.; MEDEIROS L. N. P. Ausência de educação financeira no Brasil: o impacto à sociedade e a possibilidade de reversão. Brazilian Journal of Development, Curitiba, 04 out. 2021. Disponível em: https://ojs.brazilianjournals.com.br/ojs/index.php/BRJD/article/view/38778. Acesso em: 21 mar. 2023.

METTE, F. M. B. A educação financeira como um instrumento estratégico para dar sustentabilidade ao crescimento econômico brasileiro. International Journal of Business & Marketing, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 43 - 52, jan/dez. 2016.

METTE, F. M. B.; MATOS, C. A. Uma análise bibliométrica dos estudos em educação financeira no Brasil e no mundo. Revista interdisciplinar de Marketing, Maringá, v. 5, n. 1, p. 46 - 63, jan./jun. 2015.

MINELLA, J. M.; BERTOSSO, H.; PAULI, J.; CORTE, V. F. D. A influência do materialismo, educação financeira e valor atribuído ao dinheiro na propensão ao endividamento de jovens. Revista Gestão e Planejamento, Salvador, v. 18, n. 1, p. 182 - 201, jan./dez. 2017. https://doi.org/10.21714/2178-8030gep.v18.4257

MIRA, E. C.; DINIZ, M. F. Os limites da educação financeira sob a perspectiva da economia comportamental. Revista de gestão e secretariado, São Paulo, v. 13, n. 3, p. 756 - 775. set/dez. 2022. https://doi.org/10.7769/gesec.v13i3.1365

NASCIMENTO, T. G. A participação do setor privado e a importância das alianças multissetoriais para o desenvolvimento da ENEF. In: FORTE, C. (org.). Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF): em busca de um Brasil melhor. 2. ed. São Paulo: Riemma, 2021. p. 60 - 77. https://doi.org/10.52343/riemmaeditora.978-65-00-16994-2.3

PONTES, G. A.; COSTA, P. S.; RANGEL, A. M. Perfil de educação financeira dos docentes de universidades públicas brasileiras. Revista eletrônica de estratégia e negócios, Florianópolis, v. 15, n. 2, p. 242 - 267, jan./dez. 2022. https://doi.org/10.59306/reen.v15e22022241-267

RIBEIRO, C. T. Agenda em políticas públicas: a estratégia de educação financeira no Brasil à luz do modelo de múltiplos fluxos. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, p. 487 - 498, jul./set. 2020. https://doi.org/10.1590/1679-395120190038

SIDNEY, I. Dez anos da Estratégia Nacional de Educação Financeira – ENEF. In: FORTE, C. (org.). Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF): em busca de um Brasil melhor. 2. ed. São Paulo: Riemma, 2021. p.12 - 15.

SOUSA, M. A. B.; OLIVEIRA, A. L. L.; FRASNELL, R. S.; CARRARO, N. C.; TISOTT, S. T. Um estudo a respeito da educação financeira dos acadêmicos dos cursos de administração e ciências contábeis da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, campus de três lagoas. Revista Interface, Botucatu, v. 3, n. 16, p. 52 - 70, jul./dez. 2019.

TOLEDO, A. Educação Financeira: porque precisamos dela? In: FORTE, C. (org.). Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF): em busca de um Brasil melhor. 2. ed. São Paulo: Riemma, 2021. p.16 - 29. https://doi.org/10.52343/riemmaeditora.978-65-00-16994-2.1

VERGARA, S. C. Métodos de pesquisa em administração. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2015.

Downloads

Publicado

2024-02-29

Edição

Seção

Dossiê: Estudos Organizacionais: Desafios Contemporâneos de Gestão

Como Citar

A ESCASSEZ DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NO SISTEMA EDUCACIONAL BRASILEIRO. (2024). Colloquium Socialis. ISSN: 2526-7035, 7(1), e234845. https://journal.unoeste.br/index.php/cs/article/view/4845

Artigos Semelhantes

1-10 de 52

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.