ESPACIALIDADE INFANTIL: ANÁLISE DAS PRÁTICAS ESPACIAIS E DOS VÍNCULOS ENTRE AS CRIANÇAS NA PRAÇA 7 DE SETEMBRO EM CRUZÍLIA – MG

Autores

  • Paloma Pereira Ramiro Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Victor Martins de Aguiar Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Yeda Ruiz Maria unoeste

Palavras-chave:

Infraestrutura, Espaço Público, Praça, Pertencimento, Cruzília – MG

Resumo

Os espaços públicos são os principais agentes de criação das mais diversas relações que o ser humano pode estabelecer, sobretudo durante a primeira infância, onde são formados os primeiros vínculos responsáveis pela construção de uma memória e de um pertencimento ao espaço. Contudo, observa-se cada vez mais o descaso com estes espaços, consequentemente notando-se o abandono e o afastamento das crianças com o meio urbano, por conta da falta de infraestrutura e pelo não atendimento das demandas básicas de cultura e lazer voltadas para esse grupo. A pesquisa científica teve o intuito de analisar a relação entre as crianças e os espaços públicos e o objeto de estudo adotado foi a Praça 7 de Setembro, inaugurada em 1968 na cidade de Cruzília – MG. Por meio de levantamentos in loco, foram realizadas análises qualitativas e quantitativas acerca da infraestrutura ofertada aos usuários, como também análises das demandas e práticas espaciais da praça. Além disso, foram realizadas leituras sobre as políticas públicas urbanas ligadas à primeira infância no município e sobre o processo de desapropriação de uma parte da praça, em 2011, resultado da implantação de uma farmácia do Programa Farmácia de Minas, gerida pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG). A metodologia empregada na pesquisa, portanto, consistiu na realização de revisões bibliográficas e documentais, levantamentos in loco e análises referentes ao objeto de estudo, a Praça 7 de Setembro, demonstrando a relevância das discussões acerca dos espaços públicos e o fortalecimento do vínculo de pertencimento da criança versus cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, C. D. A pequena Cruzília. Jornal do Brasil. Em 20 de março 1973. Disponível em: . Acesso em: 14 de julho de 2021.

ASOCIACIÓN INTERNACIONAL DE CIUDADES EDUCADORAS. Ciudad Educadora. 2012. Disponível em: <http://www.bcn.cat/edcities/aice/estatiques/espanyol/sec_educating.html>. Acesso em: 03 de maio de 2021.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9050: Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro, p. 162. 2015.

BRASIL. Decreto Nº 8.869, de 05 de outubro de 2016. Institui o Programa Criança Feliz. Programa Criança Feliz. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 05 out. 2016. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2016/Decreto/D8869.htm>. Acesso em: 14 de julho de 2021.

BRASIL. Emenda constitucional Nº 10.257, de 10 de julho de 2001. Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. Estatuto da Cidade. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 11 jul. 2001. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/LEIS_2001/L10257.htm>. Acesso: 05 de maio de 2021.

CIDADANIA, Ministério da. Programa Criança Feliz, s.d. Disponível em: < https://www.gov.br/cidadania/pt-br/acesso-a-informacao/carta-de-servicos/desenvolvimento-social/promocao-do-desenvolvimento-humano/programa-crianca-feliz-1>. Acesso em: 14 de julho de 2021.

CIRCUITO DAS ÁGUAS MG, Cruzília, s.d. Disponível em: <https://circuitodasaguasmg.com.br/>. Acesso em: 14 de junho de 2021.

CRUZÍLIA. Lei Nº 1.908, de 30 de junho de 2009. Institui o Plano Diretor do Município de Cruzília e dá outras providências. Plano diretor de Cruzília. Prefeitura Municipal de Cruzília, Cruzília, MG, 30 jun. 2009.

GADELHA, J. B. Instrumentos projetuais de Arquitetura e Urbanismo como agentes transformadores, tendo como parâmetro a escala da criança. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL – IMAGINÁRIO: CONSTRUIR E HABITAR A TERRA / DEFORMAÇÕES, DESLOCAMENTOS E DEVANEIOS (ICHT), III, 2019, São Paulo. Anais Colóquio Internacional: ICHT III. USP, 2019. Disponível em: <https://sites.usp.br/icht2019/wp-content/uploads/sites/416/2019/07/Instrumentos-projetuais-de-Arquitetura-e-Urbanismo-como-agentes-transformadores-tendo-como-para%CC%82metro-a-escala-da-crianc%CC%A7a-.pdf>. Acesso em: 03 de junho de 2021.

GARCIA, C. Bienal de educação em arquitetura discute participação das crianças no espaço público. 2018. Disponível em: <https://portal.aprendiz.uol.com.br/2018/03/02/bienal-de-educacao-em-arquitetura-discute-participacao-das-criancas-no-espaco-publico/>. Acesso em: 14 de julho de 2021.

IBGE. Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Censo demográfico. 2010. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/cruzilia/pesquisa/39/30279>. Acesso em: 18 de maio de 2021.

LOEB, R. M. Territórios Vulneráveis, Arquitetura e Urbanismo: estratégias contemporâneas de ação. 2019. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Presbiteriana Mackenzie. São Paulo, 2019.

LUCENA, C. C.; BARROS, C.; SOSTER, S. S. Ipatrimônio. Cruzília: Praça Capitão Maciel, s.d. Disponível em: <http://www.ipatrimonio.org/cruzilia-praca-capitao-maciel/#!/map=38329&loc=-21.839069,-44.808863,17>. Acesso em: 17 de junho de 2021.

LUKE, N; TALK, R; SAMIOS, A; STEIL, C. A. Como desenhar espaços urbanos mais seguros e saudáveis para as crianças. 2020. ArchDaily Brasil. Disponível em: <https://www.archdaily.com.br/br/949972/como-desenhar-espacos-urbanos-mais-seguros-e-saudaveis-para-criancas>. Acesso em: 03 de maio de 2021.

LUZ, G. M. da; KUHNEN, A. O uso dos espaços urbanos pelas crianças: explorando o comportamento do brincar em praças públicas. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 26, p. 552-560, 2013. https://doi.org/10.1590/S0102-79722013000300015

MEIRA, A. M. Olhares das crianças sobre a cidade de Porto Alegre: infância contemporânea, psicanálise, educação e arte. p. 211. Dissertação (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2011.

MERLIN, J. R.; QUEIROZ, A. N. Espaços Públicos: suas potencialidades educadoras e a construção da cidadania. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO, III, 2014, São Paulo. Arquitetura, cidade e projeto: uma construção coletiva. ANPARQ, 2014. Disponível em:

<https://www.anparq.org.br/dvd-enanparq-3/htm/Artigos/SC/ORAL/SC-EPC-034_MERLIN_QUEIROZ.pdf>. Acesso em: 03 de maio de 2021.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZÍLIA. História da Cidade de Cruzília. Disponível em: <http://www.cruzilia.mg.gov.br/site/index.php/historia>. Acesso em: 14 de julho de 2021.

ROCHA, B. N. da; COSTA, C. A. da; LAGO, F. C.; ARUDA, J. M. P. de; ABREU, P. G.; SCHUMACGER, C.; KRUEL, C. S.; GUAZINA, F. M. N.; CARLESSO, J. P. P. Crianças no espaço público: contribuições para um desenvolvimento saudável. In: Revista Research, Society and Development, nº 8, 2018. Vargem Grande Paulista. Disponível em: <https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/595/650>. Acesso em: 03 de maio de 2021.

SARMENTO, M. J. Apresentação do Dossiê Crianças e suas infâncias na cidade. Cadernos de Pesquisa em Educação, Vitória, v. 21, n. 49, 1-5, jan – jun 2019. https://doi.org/10.22535/cpe.v21i49.26179

Downloads

Publicado

2022-02-17

Como Citar

Ramiro, P. P., Aguiar, V. M. de, & Maria, Y. R. (2022). ESPACIALIDADE INFANTIL: ANÁLISE DAS PRÁTICAS ESPACIAIS E DOS VÍNCULOS ENTRE AS CRIANÇAS NA PRAÇA 7 DE SETEMBRO EM CRUZÍLIA – MG. Colloquium Socialis. ISSN: 2526-7035, 5(3), 7–24. Recuperado de https://journal.unoeste.br/index.php/cs/article/view/4208