USO DE PSICOATIVOS ENTRE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS

Autores

Palavras-chave:

psicoativos, substâncias psicoativas, estudantes, universitários, drogas

Resumo

Os psicoativos são substâncias químicas que operam no sistema nervoso central, cuja ação possui capacidade de proporcionar alterações nas sensações, no estado emocional, no grau de consciência e no comportamento do indivíduo. Este estudo teve como objetivo descrever o uso de psicoativos em estudantes universitários. A coleta de dados foi realizada por meio de um questionário estruturado de autopreenchimento. O nível de significância estabelecido foi de 95% (p<0,05). Participaram do estudo 372 universitários, em sua maioria do sexo feminino (68,28%), concentrados na faixa etária de 18 a 23 anos (74,48%), sendo distribuídos por área de graduação, com predomínio da área de Saúde e Bem-Estar (55,92%). Quanto ao uso na vida de psicoativos, os mais prevalentes foram o álcool (89,78%), tabaco (37,37%) e maconha (28,49%). Conclui-se que os psicoativos são amplamente utilizados entre os universitários, tornando necessária a implantação de medidas de prevenção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Senad, Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas. I Levantamento nacional sobre o uso de álcool, tabaco e outras drogas entre universitários das 27 capitais brasileiras. Brasília, 2010 [acesso em 2020 out 07]. Disponível em: https://www.mds.gov.br/webarquivos/arquivo/cuidados_prevencao_drogas/obid/publicacoes/Livros/I%20Levantamento%20Nacional%20Universit%C3%A1rios%20-%202010.pdf

Silveira DX, Silveira EDX. Drogas: Um guia para a Família. Secretaria Nacional Antidrogas. 1.Ed. Brasília. 1999.

Cebrid, Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas. Livreto informativo sobre drogas psicotrópicas. 5. Ed. Brasília. 2013.

Aquino JG. Drogas na escola: Alternativas Teóricas e Práticas. 2. Ed. São Paulo: Summus Editorial; 1998.

Unodc - United nation office on drugs and crime. World Drug Report. Viena; 2019.

Duarte PCAV, Formigoni, MLOS. Efeitos de substâncias psicoativas. Secretaria Nacional de Política sobre Drogas. 7. Ed. Brasília. 2014.

Kandel D, Yamaguchi K. From beer to crack: developmental patterns of drug involvement. Am J Public Health; 1993.

Fernandes TF, Monteiro BMM, Silva JBM, Oliveira KM, Viana NAO, Gama CAP et al. Uso de substâncias psicoativas entre universitários brasileiros: perfil epidemiológico, contextos de uso e limitações metodológicas dos estudos. Caderno Saúde Coletiva. 2017;25(4):498-507. DOI: https://doi.org/10.1590/1414-462X201700040181

Inep - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira. Sinopse Estatística da Educação Superior 2018. Brasília; 2019.

Pillon S C, Corradi-Webster CM. Teste de identificação de problemas relacionados ao uso de álcool. Rev de Enfermagem UERJ. 2006; 14 (3):325-332.

Unoeste. A Unoeste [acesso em 2020 jul 10]. Disponível em: http://www.unoeste.br/AUnoeste

Seade - Fundação sistema estadual de análise de dados. Pib Regional. 2020 [acesso em 2020 jul 10]. Disponível em: https://perfil.seade.gov.br/

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico [internet]; 2010 [acesso em 2020 jul 10]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br

Laurenti R, Mello Jorge MHP de, Lebrão ML, Gotlieb SLD. Estatísticas de saúde. 2005.

Kuntsche E, Knibbe R, Gmel G, Engels R. Who drinks and why? A review of socio-demographic, personality, and contextual issues behind the drinking motives in young people. Addictive Behaviors, Carolina do Sul. 2006; 31: 1844-57. DOI: https://doi.org/10.1016/j.addbeh.2005.12.028

Santos DDM, Guimarães MM, Bodevan EC, Rocha RL, Pinheiro MLP. Uso de substâncias psicoativas entre estudantes universitários. SMAD, Rev Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog. 2019; 15 (3): 1-9. DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.1806-6976.smad.2019.148973

Moreno RS, Ventura RN, Brêtas JRS. Ambiente familiar e consumo de álcool e tabaco entre adolescentes. Rev Paulista de Pediatria. 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-05822009000400002

Mincis M, Mincis R. Doença Hepática Alcoólica. Rev Bras Medicina. 2005;427-33.

World Health Organization. Tobacco [internet]. 2021 [acesso em 2022 mar 09]. Disponível em: www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/tobacco

GBD 2015 Mortality and Causes of Death Collaborators. Global, regional, and national life expectancy, all-cause mortality, and cause-specific mortality for 249 causes of death, 1980-2015: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2015. Lancet. 2016;388(10053):1459-1544. DOI: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(16)31012-1

Wessler BG. Efeitos neuroquímicos e comportamentais causados pelo uso da Cannabis sativa. Monografia de Curso de Pós-graduação Lato Sensu. Criciúma SC; 2014.

Osse CMC. Costa II da. Saúde mental e qualidade de vida na moradia estudantil da Universidade de Brasília. Estud. psicol. 2011; 28(1): 115-122. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-166X2011000100012

Teixeira MAP, Dias ACG, Wottrich SH, Oliveira AM. Adaptação à universidade em jovens calouros. Psicologia Escolar e Educacional [Internet]. 2008; 12(1): 185-202. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-85572008000100013

Covid-19 Mental Disorders Collaborators. Global prevalence and burden of depressive and anxiety disorders in 204 countries and territories in 2020 due to the COVID-19 pandemic. [Internet]; 2021. DOI: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(21)02143-7

Silva DR, Panosso IR, Donadon MF. Ansiedade em universitários: fatores de risco associados e intervenções – uma revisão crítica da literatura. Psicologia - Saberes & Práticas. 2018; 2(1): 1-10.

Naves JOS, Castro LLC de, Carvalho CMS de, Merchán-Hamann E. Automedicação: uma abordagem qualitativa de suas motivações. Ciência & Saúde Coletiva[Internet]. 2010; 15(1): 1751-62. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000700087

Barros D, Ortega F. Metilfenidato e aprimoramento cognitivo farmacológico: representações sociais de universitários. Saúde e Sociedade [Internet]. 2011; 20(2): 350-62. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-12902011000200008

Chiapetti N, Serbena CA. Alcohol, Tobacco and other Drugs used by Students of Health Services from a University in Curitiba. Psicol Reflex Crit. 2007; 20(2): 303-13.

Downloads

Publicado

2023-02-14

Como Citar

Augusto Simionato Pereira dos Santos, F., Candido Cardoso, J., & do Nascimento Ortega, L. (2023). USO DE PSICOATIVOS ENTRE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 14(1), 72–83. Recuperado de https://journal.unoeste.br/index.php/cv/article/view/4362