A INFLUÊNCIA DAS MALFORMAÇÕES CARDIACAS CONGENITAS DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DO CROMOSSOMO 21

Autores

  • Caroline Nunes Gonzaga Universidade Estadual Paulista – UNESP
  • Larissa Borba André
  • Mileide Cristina Stoco de Oliveira
  • Silas de Oliveira Damasceno
  • Katiane Mayara Guerrero
  • Carla de Oliveira Carletti
  • Alline Sayuri Tacaki Alves
  • Augusto Cesinando de Carvalho
  • Tânia Cristina Bofi

Palavras-chave:

Síndrome de Down, cardiopatias congênitas, desenvolvimento infantil, habilidades motoras, desvios do desenvolvimento infantil

Resumo

As malformações cardíacas afetam entre 40 e 50% dos casos com Síndrome de Down (SD) enquanto sua prevalência no recém-nascido sem SD varia de 40 a 60%. Existe uma incidência de cardiopatias congênitas (CC) significativamente superior nas mulheres com SD. Sendo assim, o objetivo do presente estudo foi comparar o desenvolvimento motor de bebês com SD de zero a quatro meses de idade que apresentavam ou não CC. Participaram 26 crianças com SD, com idade média de 3,84 ± 3,28 meses, frequentadoras de um centro de atendimento de fisioterapia e reabilitação da UNESP. Foi utilizado como instrumento o Inventário Portage Operacionalizado (IPO) e a anamnese realizada com os pais e posteriormente uma análise descritiva dos dados utilizando média, desvio padrão e porcentagem. Concluiu-se que o fator de risco cardiopatia não foi determinante para o atraso no desenvolvimento neuropsicomotor.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2017-04-28

Edição

Seção

Artigos Originais

Como Citar

A INFLUÊNCIA DAS MALFORMAÇÕES CARDIACAS CONGENITAS DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DO CROMOSSOMO 21. (2017). Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 8(3), 01-05. https://journal.unoeste.br/index.php/cv/article/view/1804

Artigos Semelhantes

1-10 de 351

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2