TRIAGEM AUDITIVA NEONATAL: ÍNDICE DE PASSA-FALHA E RELAÇÃO COM AS INTERCORRÊNCIAS GESTACIONAIS E NEONATAIS

Autores

  • Patrícia Arruda de Souza Alcarás Universidade do Oeste Paulista
  • Paula Rodrigues Vicentine Universidade do Oeste Paulista

Palavras-chave:

audição, triagem neonatal, emissões otoacústicas, fatores de risco

Resumo

O objetivo do estudo foi verificar o índice de passa-falha em neonatos submetidos à triagem auditiva neonatal (TAN) e relacionar essa incidência com as intercorrências gestacionais e neonatais. A amostra foi composta por 55 neonatos, que realizaram a TAN até os vinte e oito dias de vida, nos meses de dezembro de 2014 e janeiro de 2015. A coleta dos dados deu-se pela aplicação de um questionário às mães e pela análise dos resultados do teste das emissões otoacústicas evocadas (EOAE). Os resultados revelaram que a maioria dos neonatos era a termo e apresentou pelo menos uma intercorrência gestacional (54,55%) ou neonatal (40%). Quanto aos resultados do teste das EOAE, não houve diferença estatisticamente significante entre o grupo de neonatos com intercorrências gestacionais ou neonatais com o grupo de neonatos sem intercorrências. Conclui-se que as intercorrências apresentadas não influenciaram no índice de passa-falha na triagem auditiva neonatal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Arruda de Souza Alcarás, Universidade do Oeste Paulista

Faculdade de Fonoaudiologia de Presidente Prudente - Ciências da Saúde

Paula Rodrigues Vicentine, Universidade do Oeste Paulista

Faculdade de Fonoaudiologia de Presidente Prudente - Ciências da Saúde

Downloads

Publicado

2018-01-25

Como Citar

Alcarás, P. A. de S., & Vicentine, P. R. (2018). TRIAGEM AUDITIVA NEONATAL: ÍNDICE DE PASSA-FALHA E RELAÇÃO COM AS INTERCORRÊNCIAS GESTACIONAIS E NEONATAIS. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 9(2), 59–66. Recuperado de https://journal.unoeste.br/index.php/cv/article/view/1376

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)