A DISPOSIÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO PONTAL DO PARANAPANEMA

Autores

  • Lucas Prado Osco
  • Marcos Norberto Boin
  • Munir Jorge Felício
  • Ana Paula Marques Ramos

Palavras-chave:

UGRHI-22, Resíduo Sólido, Degradação Ambiental.

Resumo

O presente trabalho tem por finalidade apresentar o levantamento regional em relação ao modo de disposição final dos resíduos sólidos no Pontal do Paranapanema (ou UGRHI-22), a partir de constatações e visitas in loco em todos os aterros atualmente em funcionamento. Para tanto, reuniram-se informações a partir de estudos relacionados ao gerenciamento e às normas geotécnicas para aterros em ficha síntese, onde a mesma foi aplicada durante as vistorias realizadas em cada local. Constatou-se que nenhum dos depósitos apresenta as condições adequadas conforme a lei vigente (12.305/2010), que obriga o encerramento de quaisquer destinos finais que não em um aterro sanitário. Isto posto, deve-se salientar que além de nenhum dos aterros presentes possuir as exigências mínimas para um aterro sanitário, os mesmos muitas vezes comportam-se como vazadouros ou lixões à céu aberto, com presença de animais, catadores, queimadas, recebimento de resíduos não autorizados e diversas outras infrações. Assim, conclui-se que a situação diverge daquela apresentada pelo órgão ambiental (neste caso, a CETESB), e que muitas dessas áreas encontram-se geotecnicamente impróprias para destinar os resíduos sólidos dos municípios regionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2016-03-10

Como Citar

Osco, L. P., Norberto Boin, M., Jorge Felício, M., & Paula Marques Ramos, A. (2016). A DISPOSIÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO PONTAL DO PARANAPANEMA. Colloquium Exactarum. ISSN: 2178-8332, 7(3), 92-112. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/ce/article/view/1447

Edição

Seção

Artigos Originais

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 > >>