FONTES DE AMIDO E TEMPERATURA DE ARMAZENAMENTO NA MANUTENÇÃO DA QUALIDADE PÓS-COLHEITA DA PITAYA DE POLPA VERMELHA

Autores

  • Alex Guimarães Sanches Universidade Federal do Pará
  • Maryelle Barros da Silva Universidade Federal do Pará
  • Elaine Gleice Silva Moreira Universidade Federal do Pará
  • Carlos Alberto Martins Cordeiro Universidade Federal do Pará

Palavras-chave:

Ciências Agrárias, Fitotecnia, Fisiologia Pós-colheita

Resumo

A pitaya é uma fruta tropical que apresenta uma perda considerável pós-colheita devido à falta de técnicas que mantenham suas propriedades qualitativas ao longo do tempo de comercialização. Assim, a presente pesquisa objetiva avaliar o efeito de revestimentos naturais à base de amido associado ao armazenamento em diferentes temperaturas visando a extensão da sua vida útil. O experimento foi conduzido em um delineamento inteiramente casualizado em arranjo fatorial 5x4x2, sendo cinco tempos de avaliação, quatro tratamentos (sem revestimento: controle, amido de arroz, amido de mandioca e amido de milho) e duas temperaturas de armazenamento (10 e 25°C), com quatro repetições e a parcela experimental composta por três frutos. A cada quatro dias as amostras aleatoriamente eram avaliadas quanto a perda de massa fresca, firmeza, sólidos solúveis totais, acidez total titulável, pH, vitamina C e índice de maturação (SST/ATT). As variáveis avaliadas sofreram alterações durante o armazenamento nas diferentes temperaturas sendo mais pronunciadas quando mantidas a 25°C. A utilização dos revestimentos a base de amido promoveram em ambas as temperaturas controle sobre as alterações fisiológicas que comprometem a qualidade dos frutos quando comparadas as amostras do tratamento controle. A vida útil das pitayas armazenadas a 10°C foi de até dezesseis dias sem diferenças entre os tipos de revestimentos. Os revestimentos a base de amido de mandioca e amido de milho mostraram-se mais eficientes em manter a qualidade dos frutos quando armazenados a 25°C por até doze dias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alex Guimarães Sanches, Universidade Federal do Pará

Engenheiro Agrônomo, Mestrando em Agronomia Fitotecnia pela Universidade Federal do Ceará na linha de pesquisa Fisiologia, Bioquímica e Fisiologia Pós-colheita. Experiência em fisiologia vegetal pós-colheita de frutos, legumes, folhosas e flores tropicais.

Maryelle Barros da Silva, Universidade Federal do Pará

Engenheira Agrônoma, experiência em fisiologia pós-colheita de frutos

Elaine Gleice Silva Moreira, Universidade Federal do Pará

Engenheira Agrônoma, experiência em fisiologia pós-colheita de frutos

Carlos Alberto Martins Cordeiro, Universidade Federal do Pará

Prof. Dr. Adjunto A, Universidade Federal do Pará, Campus Bragança, PA. Experiencia em fisiologia pós-colheita de frutos e hortaliças.

Downloads

Publicado

2017-12-19

Como Citar

Sanches, A. G., Silva, M. B. da, Moreira, E. G. S., & Cordeiro, C. A. M. (2017). FONTES DE AMIDO E TEMPERATURA DE ARMAZENAMENTO NA MANUTENÇÃO DA QUALIDADE PÓS-COLHEITA DA PITAYA DE POLPA VERMELHA. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 13(2), 41–54. Recuperado de https://journal.unoeste.br/index.php/ca/article/view/1819

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)