AVALIAÇÃO DO RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS CADASTRADOS EM UMA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

  • Elaine Aparecida Lozano da Silva
  • Larissa Borba André
  • Beatriz Espanhol Garcia
  • Estela Vidotto de Oliveira
  • Ana Caroline Rippi Moreno
  • Regina Celi Trindade Camargo
  • Eliane Ferrari Chagas
  • Ana Lúcia de Jesus Almeida
Palavras-chave: Idoso, equilíbrio, envelhecimento, quedas, qualidade de vida

Resumo

Os declínios causados pelo envelhecimento desenvolvem alterações no equilíbrio e capacidade funcional do idoso, predispondo ao surgimento de quedas. O objetivo do estudo é avaliar o risco de quedas em idosos. O estudo é de natureza transversal, com coleta por meio da aplicação do teste Timed up and go (TUGT) e a Escala de Equilíbrio de Berg. Estudo composto por 20 idosos com média de idade de 66,4 ± 9,7 anos; na escala de Berg a pontuação obtida foi de 51,3 ± 2,8 pontos, e no Teste TUGT, 9,90 ± 3,14 seg. Os participantes foram subdivididos em dois grupos de acordo com seu resultado no BERG: Grupo Maior e Grupo Menor. Na análise comparativa não houve diferença significativa, obtendo melhor resultado no TUGT o grupo maior (p=0,1937). Diante do escore encontrado no presente estudo, caracteriza-se a população como sem risco de quedas. Desse modo destacando a importância de programas para prevenção e promoção da saúde na população idosa nas Estratégiad de Saúde da Família (ESFs) que atuam.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-04-28
Como Citar
Aparecida Lozano da Silva, E., Borba André, L., Espanhol Garcia, B., Vidotto de Oliveira, E., Caroline Rippi Moreno, A., Celi Trindade Camargo, R., Ferrari Chagas, E., & Lúcia de Jesus Almeida, A. (2017). AVALIAÇÃO DO RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS CADASTRADOS EM UMA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 8(3), 13-16. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/cv/article/view/1806
Seção
Artigos Originais

Outros artigos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>