O ATRITO NOS APARELHOS AUTOLIGÁVEIS: CONSIDERAÇÕES BASEADAS EM UM CASO CLÍNICO

Autores

  • Fernando Molina Santiago Faculdade Herrero
  • Alcides Vidor Vieira Vidor Vieira Instituto Primer
  • Hamilton de Oliveira Junior Instituto Primer

Palavras-chave:

Ortodontia, Atrito, Braquetes Autoligados,

Resumo

Este trabalho discute alguns aspectos relacionados à dinâmica do agente físico atrito em aparelhos ortodônticos classificados como autoligáveis. Para isso, o mesmo apresenta dados relativos a um acompanhamento clínico realizado em um dos pacientes, sujeito de tratamento ortodôntico, durante o curso de especialização em ortodontia, realizada em uma instituição de ensino superior situada na região noroeste do estado do Paraná. Tal paciente apresentava principalmente mordida profunda, leve desvio da linha média e mordida cruzada anterior de incisivos laterais e central, em que foi utilizado um aparelho autoligável que dentre outras características, apresenta uma considerável redução no atrito durante a movimentação, dispensa ligaduras com uma consequente redução no tempo de tratamento. Após as análises, foi possível constatar o sistema autoligável apresenta vantagens significativas quando se considera a dinâmica do atrito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Molina Santiago, Faculdade Herrero

Bacharel em Odontologia Especialista em Ortodontia Especialista em Implantodontia

Alcides Vidor Vieira Vidor Vieira, Instituto Primer

Bacharel em odontologia Especialista e Mestre em Ortodontia Docente do Curso de Pós-graduação em Ortodontia - Instituto Primer (Faculdade Herrero)

Hamilton de Oliveira Junior, Instituto Primer

Bacharel em odontologia Especialista em Ortodontia Docente do Curso de Pós-graduação em Ortodontia - Instituto Primer (Faculdade Herrero)

Downloads

Publicado

2018-04-03

Como Citar

Santiago, F. M., Vieira, A. V. V. V., & Junior, H. de O. (2018). O ATRITO NOS APARELHOS AUTOLIGÁVEIS: CONSIDERAÇÕES BASEADAS EM UM CASO CLÍNICO. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 9(3), 40–47. Recuperado de https://journal.unoeste.br/index.php/cv/article/view/1356

Edição

Seção

Artigos Originais