PARTICIPAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL EM INSTÂNCIAS DE CONTROLE SOCIAL DEMOCRÁTICO: LIMITES E DESAFIOS

Autores

  • Andréa Márcia Santiago Lohmeyer Fuchs
  • Breno Jaime Amaral Souto Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC
  • Gabriela Isabel de Jesus Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC

Resumo

A Constituição Federal de 1988 foi o marco inicial para a participação social descentralizada. A referente pesquisa trata de como estão sendo executadas as medidas socioeducativas de liberdade assistida e prestação de serviços à comunidade pelos assistentes sociais na mesorregião da Grande Florianópolis.  A metodologia adotada foi a abordagem qualitativa com formulário online aplicado em 22 municípios e nove entrevistas com visita in loco com assistentes sociais. Parte da metodologia traçou o perfil profissional e inclusive a participação em espaços políticos de controle democrático. O objetivo deste presente estudo ressalta os desafios dessa participação encontrados no cotidiano profissional. Os dados sugerem que a participação do assistente social nesses espaços ainda é deficitária, muito embora esteja presente enquanto orientação do projeto ético-político da categoria. Para tanto, o profissional precisa ter clareza da importância da sua participação para o fortalecimento das deliberações nas políticas públicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-01-22

Como Citar

Márcia Santiago Lohmeyer Fuchs, A., Jaime Amaral Souto, B., & Isabel de Jesus, G. (2019). PARTICIPAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL EM INSTÂNCIAS DE CONTROLE SOCIAL DEMOCRÁTICO: LIMITES E DESAFIOS. Colloquium Socialis. ISSN: 2526-7035, 2(2), 36–39. Recuperado de https://journal.unoeste.br/index.php/cs/article/view/2607