QUANTIFICAÇÃO E ANÁLISE COMPARATIVA DO TEOR DE METANOL EM AMOSTRAS DE CACHAÇAS DE DIFERENTES ORIGENS

Autores

  • Amandio Oliveira da Silva Júnior
  • Angélica Augusta Grigoli
  • Daniel Angelo Macena Universidade do Oeste Paulista

Palavras-chave:

Metanol, Intoxicação, Cromatografia Gasosa.

Resumo

O modo de fabricação da cachaça está diferenciado na escala, equipamentos disponíveis, e o controle do produto final. Durante o processo de obtenção da bebida, são formados outros tipos de álcoois sendo eles desejáveis ou não. Dentre os álcoois indesejáveis está o metanol, um álcool de baixo peso molecular, responsável por intoxicações agudas que pode causar cegueira e em alguns casos evoluem levando a óbito, através de inalação, absorção pela pele e/ou ingestão. O objetivo da pesquisa foi identificar e quantificar o metanol em cachaças brasileiras de diferentes origens e comparar os resultados com a legislação brasileira. O método utilizado foi cromatografia gasosa por headspace e os resultados foram negativos para todas as amostras. Concluiu-se que as cachaças analisadas estavam de acordo com a legislação brasileira devido à ausência de metanol.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-06-30

Como Citar

da Silva Júnior, A. O., Grigoli, A. A., & Angelo Macena, D. (2017). QUANTIFICAÇÃO E ANÁLISE COMPARATIVA DO TEOR DE METANOL EM AMOSTRAS DE CACHAÇAS DE DIFERENTES ORIGENS. Colloquium Exactarum. ISSN: 2178-8332, 8(4), 59–67. Recuperado de https://journal.unoeste.br/index.php/ce/article/view/1901

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>