ENRAIZAMENTO DE MELALEUCA: INFLUÊNCIA DA ALTURA DE COLETA DAS ESTACAS E APLICAÇÃO DE IBA

Autores

  • Carlos André Stuepp Universidade Federal do Paraná
  • Gabriely Pinto Pereira Universidade Federal do Paraná
  • Luciele Milani Zem UFPR
  • Martha Lucía Peña Peña UFPR
  • Paulo Mauricio Centenaro Bueno UFPR
  • Vitor Spader UFPR
  • Katia Christina Zuffellato-Ribas Universidade Federal do Paraná
  • Gilnei Machado Rosa UFPR

Palavras-chave:

Melaleuca alternifolia, regulador vegetal, teoria do cone

Resumo

Melaleuca alternifolia Cheel é uma planta medicinal de importância econômica, sua constituição química é bem conhecida, sendo rica em terpinen-4-ol, principal responsável por suas propriedades medicinais. Apresenta entraves à obtenção de mudas de qualidade via sementes, podendo a propagação vegetativa beneficiar sua comercialização, mantendo as características produtivas e de qualidade do óleo extraído. O presente trabalho objetivou avaliar o enraizamento de estacas de melaleuca, coletadas nos terços apical, mediano e basal de plantas matrizes e tratadas com diferentes concentrações de ácido indol butírico (IBA). Estacas de 6 cm de comprimento, mantidas com um terço de folhas no ápice e corte em bisel na base, tratadas com soluções hidroalcoólicas (0, 1500, e 3000 mg.L-1 IBA), por 10 segundos de imersão na base, plantadas em tubetes com vermiculita e colocadas em casa de vegetação. Após 91 dias foram avaliadas a porcentagem de estacas enraizadas, número de raízes, comprimento médio de raízes, porcentagem de calos, sobrevivência e mortalidade. As porcentagens de enraizamento de estacas caulinares foram inferiores a 43,8%, e não foram influenciadas pela altura de coleta dos ramos nas plantas matrizes nem pelas concentrações de IBA testadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos André Stuepp, Universidade Federal do Paraná

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Agronomia - Produção Vegetal (PGAPV), pela Universidade Federal do Paraná.

Gabriely Pinto Pereira, Universidade Federal do Paraná

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Agronomia - Produção Vegetal (PGAPV), pela Universidade Federal do Paraná.

Luciele Milani Zem, UFPR

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Agronomia - Produção Vegetal (PGAPV), pela Universidade Federal do Paraná.

Martha Lucía Peña Peña, UFPR

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Agronomia - Produção Vegetal (PGAPV), pela Universidade Federal do Paraná.

Paulo Mauricio Centenaro Bueno, UFPR

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Agronomia - Produção Vegetal (PGAPV), pela Universidade Federal do Paraná.

Vitor Spader, UFPR

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Agronomia - Produção Vegetal (PGAPV), pela Universidade Federal do Paraná.

Katia Christina Zuffellato-Ribas, Universidade Federal do Paraná

Doutora em Ciências Biológicas (Botânica) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho e Pós-doutorado em Fisiologia Vegetal pela Università di Pisa, Italia.

Gilnei Machado Rosa, UFPR

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Agronomia - Produção Vegetal (PGAPV), pela Universidade Federal do Paraná.

Downloads

Publicado

2013-09-20

Como Citar

Stuepp, C. A., Pereira, G. P., Zem, L. M., Peña Peña, M. L., Bueno, P. M. C., Spader, V., Zuffellato-Ribas, K. C., & Rosa, G. M. (2013). ENRAIZAMENTO DE MELALEUCA: INFLUÊNCIA DA ALTURA DE COLETA DAS ESTACAS E APLICAÇÃO DE IBA. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 9(1), 01–09. Recuperado de https://journal.unoeste.br/index.php/ca/article/view/850

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)