RESPOSTA DA MAMONA A DOSES EXCESSIVAS DE CALCÁRIO

Autores

  • José Salvador Simineti Foloni Embrapa
  • Diego Henriques Santos UNESP - Botucatu
  • Carlos Sérgio Tiritan Unoeste

Palavras-chave:

Ricinus communis L., calagem, nutrientes

Resumo

A mamoneira apresenta forte aptidão como cultura de verão ou safrinha no Brasil Central, porém os solos tropicais apresentam elevada acidez natural e baixa oferta de nutrientes, o que limita o potencial produtivo. A calagem é uma técnica consagrada para o manejo de solos tropicais, no entanto, o uso excessivo de calcário pode comprometer o desenvolvimento das culturas. Com o objetivo de avaliar o crescimento vegetativo e os teores de nutrientes na parte aérea das plantas de mamona, em função da aplicação de doses excessivas de calcário, instalou-se um experimento na casa de vegetação da Universidade do Oeste Paulista. O Argissolo Vermelho distroférrico foi acondicionado em vasos de 18 dm3. Utilizou-se o cultivar Savana, deixando-se duas plantas por vaso. Fizeram-se regas diárias e 60 dias após a emergência das plântulas coletou-se a parte aérea que foi submetida a determinações analíticas para quantificar os teores de cálcio, magnésio, potássio, enxofre e boro na parte aérea vegetal. Concluiu-se que a calagem em excesso, aplicada sem critérios técnicos de recomendação, é prejudicial para o desenvolvimento vegetativo e para a nutrição das plantas de mamoneira, apesar de ter proporcionado maior oferta de Ca e Mg.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-04-18

Como Citar

Foloni, J. S. S., Santos, D. H., & Tiritan, C. S. (2013). RESPOSTA DA MAMONA A DOSES EXCESSIVAS DE CALCÁRIO. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 8(2), 85–90. Recuperado de https://journal.unoeste.br/index.php/ca/article/view/730

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>