PRODUÇÃO DE CAFÉ SOMBREADO

Autores

  • Mauricio Antonio Cuzato Mancuso Faculdade de Ciências Agronômicas, UNESP Campus Botucatu
  • Rogério Peres Soratto Faculdade de Ciências Agronômicas, UNESP Campus Botucatu
  • Marcos José Perdoná Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios - APTA Polo Centro Leste - Ribeirão Preto

Palavras-chave:

Coffea sp., consorciação, cafés especiais, arborização, qualidade

Resumo

Com a crescente preocupação ambiental e demanda por cafés especiais, a presente revisão teve como objetivo agregar informações a respeito dos efeitos causados pelo sombreamento sobre a cultura do café, visto que esta cultura é originária de sub-bosques africanos. Entre os efeitos abordados estão o aumento da matéria orgânica e melhoria da fauna do solo, ciclagem de nutrientes, redução dos processos erosivos no solo, contaminação ambiental, gases do efeito estufa, conservação da biodiversidade, disponibilidade luminosa, atenuação da temperatura e ventos, incidência de pragas, doenças e plantas daninhas, produção das espécies de sombreamento e, por fim, de que maneira todos esses fatores associados interferem na fenologia, produção e qualidade do café.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mauricio Antonio Cuzato Mancuso, Faculdade de Ciências Agronômicas, UNESP Campus Botucatu

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Campus de Botucatu (2008), sendo o estágio extracurricular obrigatório (finalização de curso) realizado na University of Arkansas. Mestre em Agronomia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Campus de Botucatu (2012). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Grandes Culturas, atuando principalmente nos seguintes temas: café, aveia branca, arroz, silicato, adubação potássica, tipos de cobertura, herbicidas. Atualmente é doutorando em Agronomia (Agricultura) pelo Departamento de Produção Vegetal - Agricultura da Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu, UNESP, onde trabalha principalmente com a cultura do café.

Rogério Peres Soratto, Faculdade de Ciências Agronômicas, UNESP Campus Botucatu

Possui graduação em Agronomia (1999) e mestrado em Agronomia - área de concentração em Sistemas de Produção (2002) pela Faculdade de Engenharia da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP), campus de Ilha Solteira e doutorado em Agronomia - área de concentração em Agricultura (2005) pela Faculdade de Ciências Agronomicas da UNESP, campus de Botucatu. Atualmente é Professor Assistente Doutor da Faculdade de Ciências Agronômicas da UNESP, campus de Botucatu. Realiza pesquisas com ênfase em grandes culturas, nas áreas de: fitotecnia, manejo e tratos culturais, manejo da adubação, nitrogênio, calagem e gessagem, sistema plantio direto e sistemas de produção agrícola.

Marcos José Perdoná, Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios - APTA Polo Centro Leste - Ribeirão Preto

Doutorando em Agronomia pela FCA-Unesp- Botucatu, graduado em Engenharia Agronômica pela Universidade Estadual de Londrina - PR, Brasil (1994), trabalhou na iniciativa privada no estado de Minas Gerais com a cultura de café. Como extensionista trabalhou por 14 anos com as culturas de café, cana-de-açúcar e piscicultura, sendo fundador das Associações: Associcor e Unicafé. Atualmente, pesquisador da APTA - Polo de Ribeirão Preto na área de fitotecnia com os temas: nutrição de plantas, sistemas agroflorestais, consorciação das culturas café e macadâmia, ocupando os cargos de diretor técnico da Associação Brasileira de Macadâmia e Presidente do Gtec Café do Centro-Oeste Paulista.

Downloads

Publicado

2013-09-20

Como Citar

Mancuso, M. A. C., Soratto, R. P., & Perdoná, M. J. (2013). PRODUÇÃO DE CAFÉ SOMBREADO. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 9(1), 31–44. Recuperado de https://journal.unoeste.br/index.php/ca/article/view/592

Edição

Seção

Revisão Bibliográfica