CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO DE AVEIA PRETA EM RESPOSTA À INOCULAÇÃO COM Azospirillum brasilense E ADUBAÇÃO NITROGENADA

  • Douglas Vilas Boas Correa Filho Faculdade de Tecnologia Paulista
  • Érika Cristina Souza da Silva Correia Faculdade de Tecnologia Paulista
  • Francisco José Domingues Neto Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
  • David Vitor dos Santos Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
  • Tiago Alexandre da Silva Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
  • Raimundo Nonato Farias Monteiro Faculdade de Tecnologia Paulista
  • Lais Fernanda Fontana Faculdade de Tecnologia Paulista
Palavras-chave: Avena strigosa, bactéria diazotrófica, fixação biológica de nitrogênio, adubação nitrogenada

Resumo

A bactéria Azospirillum brasilense vem ganhando destaque quando inoculadas em sementes, resultando em incrementos no sistema radicular, produção de massa seca e produtividade das culturas. Objetivou-se com esse trabalho avaliar o efeito da inoculação de A. brasilense e a aplicação de diferentes doses de nitrogênio sob a produção da aveia preta. O experimento foi realizado nas dependências do campo experimental pertencente à Faculdade de Tecnologia Paulista, Lupércio-SP, cujas coordenadas geográficas de referência são: latitude: 22º24'59'' S, longitude 49°48'56'' W e altitude 669 m. O delineamento experimental foi em blocos casualizados com cinco tratamentos (T1= testemunha, aveia preta não inoculada com A. brasilense e sem aplicação de N; T2= A. brasilense na dose de 0,25 mL/ 14 g de semente, no momento da semeadura; T3= N 50% na dose de 19 g/ 2 m², 30 dias após a germinação; T4= N 100% na dose de 38 g/ 2 m² e T5= N 150% na dose de 57 g/ 2 m², 30 dias após a germinação) e quatro repetições. A semeadura foi realizada manualmente e em linhas, sendo semeadas 292 sementes por metro linear. Aos 90 dias após a semeadura avaliou-se a altura das plantas e em seguida, as plantas foram colhidas e avaliada a massa fresca da parte aérea e das sementes e, após secas em estufa, avaliou-se a massa seca da parte aérea e sementes. Houve efeito significativo da aplicação de A. brasilense e nitrogênio em plantas de aveia preta para todos os parâmetros avaliados, exceto altura, massa seca da parte aérea e massa fresca da semente.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-12-19
Como Citar
Correa Filho, D. V. B., Correia, Érika C. S. da S., Domingues Neto, F. J., Santos, D. V. dos, Silva, T. A. da, Monteiro, R. N. F., & Fontana, L. F. (2017). CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO DE AVEIA PRETA EM RESPOSTA À INOCULAÇÃO COM Azospirillum brasilense E ADUBAÇÃO NITROGENADA. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 13(2), 01-08. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/ca/article/view/1753