INFLUÊNCIA DO TEMPO DE PERMANÊNCIA DOS OVOS DE AVESTRUZES NO NINHO SOBRE A TAXA DE ECLOSÃO

  • Nadia Nobrega Valdo UNOESTE
  • Leticia Jalloul Guimarães
  • Lilian Francisco Arantes de Souza
  • Sheila Merlo Garcia
Palavras-chave: Incubação, Qualidade do Ovo, Eclodibilidade, Ninho, Avestruz

Resumo

O objetivo do experimento foi avaliar se o tempo de permanência dos ovos no ninho afeta a qualidade do ovo a ser incubado interferindo na taxa de eclosão. Utilizaram-se 34 ovos divididos em blocos inteiramente casualizados. A coleta dos ovos foi realizada em dois períodos, manhã (tratamento 1) e madrugada (tratamento 2). Os parâmetros de qualidade dos ovos foram avaliados por meio do peso dos ovos nos dias 0 e 39 de incubação (g), índice de perda de peso do ovo (%), taxa de fertilidade (%), eclodibilidade (%) e mortalidade (%). Os resultados obtidos mostram que não houve diferença significativa em nenhuma das variáveis analisadas. Dessa forma, pode-se concluir que o tempo de permanência no ninho não influência na taxa de eclosão dos ovos, uma vez que o baixo índice de eclodibilidade possa estar relacionado a problemas durante o manejo de incubação, genéticos ou nutricionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-08-04
Como Citar
Nobrega Valdo, N., Jalloul Guimarães, L., Francisco Arantes de Souza, L., & Merlo Garcia, S. (2017). INFLUÊNCIA DO TEMPO DE PERMANÊNCIA DOS OVOS DE AVESTRUZES NO NINHO SOBRE A TAXA DE ECLOSÃO. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 13(1), 39-42. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/ca/article/view/1674

Outros artigos do(s) mesmo(s) autor(es)