PERFIL SOCIODEMOGRÁFICO E QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS DE UM CENTRO DE REFERÊNCIA DO IDOSO DO OESTE PAULISTA

  • Isabela Cristina Duarte Araújo Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Gislaine da Silva Toretto Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Thaoane Aparecida Cano Toledo Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Margarete Jardinetti de Oliveira Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Aline Duarte Ferreira Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Weber Gutemberg A. de Oliveira UNOESTE
Palavras-chave: envelhecimento, qualidade de vida, exercício, serviços de saúde para idosos, assistência a idosos

Resumo

O objetivo deste estudo foi descrever o perfil sóciodemográfico, qualidade de vida e nível de atividade física de idosos do Centro de Referência do Idoso (CRI) comparados aos idosos do Brasil por plataforma governamental. Estudo comparativo e transversal, incluindo 100 idosos de ambos os gêneros com idade de 73,2±6 anos. A qualidade de vida foi avaliada pelo questionário WHOQOL-OLD, o nível de atividade física pelo questionário Baecke e o nível cognitivo através do Mini Exame do Estado Mental. A análise intergrupos foi realizada pelo teste Qui-quadrado. Para análise do nível de atividade física utilizou-se o teste Kruskal-Wallis (p<0,05). Os resultados sociodemográficos mostraram que escolaridade, estado civil, renda e profissão foram superiores quando comparados aos dados nacionais e a ausência de dados da população idosa brasileira sobre nível de atividade física dificultou realizar comparações. Concluiu-se que a amostra encontra-se em nível igual ou superior na maioria dos perfis da população brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Vasconcelos AMN, Gomes MMF. Transição demográfica: a experiência brasileira. Epidemiol Serv Saúde. 2012;21(4):539-548. DOI: http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742012000400003.

Azambuja MIR, Achutti AC, Reis RA, Siva JO, Fisher PD, Rosa RS et al. Saúde urbana, ambiente e desigualdades. Rev Bras Med Familía Comunid. 2011;6(19):110-115. DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc6(19)151.

Veras R. Envelhecimento populacional e as informações de saúde do PNAD: demandas e desafios contemporâneos. Introdução. Cad Saúde Púb. 2007;23(10):2463-6. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2007001000020.

Silva LWS, Santos RG, Squarcini CFR, Souza AL, Azevedo MP, Barbosa FNM. Perfil do estilo de vida e autoestima da pessoa idosa. Perspectivas de um programa de treinamento físico. Rev Temát Kair Geront. 2011;14(3):145-166.

Deponti RN, Acosta MAF. Compreensão dos idosos sobre os fatores que influenciam no envelhecimento saudável. Estud Interdiscip Envelhec. 2010;15(1):31-50.

The WHOQOL Group. The World Health Organization Quality of Life Assessment (WHOQOL): position paper from the World Health Organization. Soc Sci Med. 1995;41(10):1403-9. DOI: https://doi.org/10.1016/0277-9536(95)00112-K

Ferreira EEDBA. Gestão de custos com medicamentos, hidroginástica e qualidade de vida em pessoas idosas de Santarém. [dissertação]. Coimbra: Universidade de Coimbra, Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, 2011.

Silva RS, Silva I, Silva RA, Souza L, Tomasi E. Atividade física e qualidade de vida. Ciênc Saúde Colet. 2010;15(1):115-20. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000100017.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.528, de 01 de outubro 2006. Aprova a Política Nacional da Pessoa Idosa. 2006.

Néri, AL. Idosos no Brasil: vivências, desafios e expectativas na terceira idade. São Paulo: Fundação Perseu Abramo; 2007. Cap 1.

The Whoqol Group. The world health organization quality of life assessment: position paper from the world health organization. Soc Sci Med. 1995; 41(10):1403-1409. DOI: https://doi.org/10.1016/0277-9536(95)00112-K

Miranda LCV, Soares SM, Silva PAB. Qualidade de vida e fatores associados em idosos de um Centro de Referência à Pessoa Idosa. Rev Ciên Saúde Col. 2016;21(11):3533-3544. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320152111.21352015.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 702, de 12 de abril de 2002. Criação de mecanismos para a organização e implantação de Redes Estaduais de Assistência à Saúde do Idoso. 2002.

Brucki SMD, Nitrini R, Caramelli P, Bertolucci PHF, Okamoto IH. Sugestões para o uso do mini-exame do estado mental no Brasil. Arq Neuro-Psiquiatr. 2003; 61(3B):777-781. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2003000500014.

Fleck MPA, Chachamovich E, Trentini CM. WHOQOL-OLD Project: method and focus group results in Brazil. Rev Saúde Púb. 2003;37(6):793-9. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102003000600016.

Florindo AA, Latorre MRDO. Validação e reprodutibilidade do questionário de Baecke de avaliação da atividade física habitual em homens adultos. Rev Bras Med Esporte. 2003;9(3):121-128.

Dawalibi NW, Goulart RMM, Prearo LC. Fatores relacionado à qualidade de vida de idosos em programa para a terceira idade. Rev Ciên Saúde Col. 2014;19(8):3505-3512. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014198.21242013.

Alexandre TS, Cordeiro RC, Ramos LR. Factors associated to quality of life in active elderly. Rev Saúde Pub. 2009;43(4):613-21. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102009005000030.

Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Síntese de indicadores sociais. 2016. Acesso em: 20 mai 2018. Disponível em https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/sociais/educacao/9221-sintese-de-indicadores-sociais.html?=&t=downloads.

Varela FRA, Ciconelli RM, Campolina AG, Soarez PC. Quality of life evaluation of frail elderly in Campinas. Rev Assoc Med Bras. 2015;61(5):423-430. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1806-9282.61.05.423.

Leite MT, Hildebrandt LM, Kirchner RM, Winck MT, Silva LAA, Franco GP. Cognitive and health conditions in elderly participants in recreation and leisure activities centers. Rev Gáucha Enferm. 2012;33(4):64-71. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472012000400008.

Guyatt GH, Eagle DJ, Sackett B, Willan A, Griffith L, McIlroy W, et al. Measuring quality of life in the frail elderly. J Clin Epidemiol. 1993;46(12):1433-44. DOI: https://doi.org/10.1016/0895-4356(93)90143-O

Brasil. Ministério da Saúde. Datasus. Sistemas de informação sobre morbidades e mortalidades: indicadores e dados básicos. 2016. Acesso em: 20 mai 2018. Disponível em http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=0205.

Cotta RMM, Batista KCS, Reis RS, Souza GA, Dias G, Castro FAF et al. Perfil sociossanitário e estilo de vida de hipertensos e/ou diabéticos, usuários do Programa de Saúde da Família no município de Teixeiras, MG. Ciên Saúde Col. 2009;14(4):1251-60. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232009000400031.

Brasil. Atlas do desenvolvimento humano no Brasil. 2013. Acesso em: 20 mai 2018. Disponível em http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/presidente-prudente

Publicado
2019-04-17
Como Citar
Cristina Duarte Araújo, I., da Silva Toretto, G., Aparecida Cano Toledo, T., Jardinetti de Oliveira, M., Duarte Ferreira, A., & Oliveira, W. G. A. de. (2019). PERFIL SOCIODEMOGRÁFICO E QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS DE UM CENTRO DE REFERÊNCIA DO IDOSO DO OESTE PAULISTA. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 11(1), 17-23. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/cv/article/view/2833
Seção
Artigos Originais

Outros artigos do(s) mesmo(s) autor(es)