INFLUÊNCIA DA FISIOTERAPIA NA FORÇA MUSCULAR RESPIRATÓRIA E FORÇA DE PREENSÃO PALMAR DE PACIENTES HOSPITALIZADOS

  • Guilherme Henrique Dalaqua Grande Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – FCT/UNESP
  • Layane Lopes Napoleão
  • Fabiano Francisco de Lima
  • Caroline Braun
  • Tamara Caroline Barbosa
  • Susimary Aparecida Trevizan Padulla
Palavras-chave: Pacientes hospitalizados, Fisioterapia, Força muscular

Resumo

Ensaio clínico com características prospectivas com intervenção fisioterápica. Tem como objetivo caracterizar o perfil dos pacientes internados na Santa Casa de Presidente Prudente encaminhados à Fisioterapia e avaliar o efeito da fisioterapia sobre a Pressão Inspiratória máxima (Pimax), Pressão Expiratória máxima (PEmax) e força de preensão palmar (FPP). Participaram 93 indivíduos internados que realizavam fisioterapia. Cada voluntário foi questionado no leito e submetido ao teste de dinamometria para avaliar a força de preensão palmar e ao teste de manovacuometria, para obtenção das pressões inspiratória e expiratória máximas. Utilizou-se estatística descritiva, teste qui-quadrado, t-student, e correlação de pearson, utilizando o programa BioEstat 5.0. A causa de internação predominate foi o câncer e o fator de risco mais prevalente foi o sedenterismo. Quanto as variáveis Pimax, Pemax e FPP, não houve diminuição significativa, considerando o tempo de internação. Não houve alterações na força muscular respiratória e na preensão palmar durante o período de internação nos pacientes que realizavam a fisioterapia, sendo esta capaz de prevenir as alterações funcionais que são impostas ao paciente como efeito do imobilismo e restrição ao leito.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-06-17
Como Citar
Dalaqua Grande, G. H., Lopes Napoleão, L., Francisco de Lima, F., Braun, C., Caroline Barbosa, T., & Trevizan Padulla, S. A. (2015). INFLUÊNCIA DA FISIOTERAPIA NA FORÇA MUSCULAR RESPIRATÓRIA E FORÇA DE PREENSÃO PALMAR DE PACIENTES HOSPITALIZADOS. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 7(1), 69-75. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/cv/article/view/1265
Seção
Artigos Originais

Outros artigos do(s) mesmo(s) autor(es)