AS ESCRITAS DE SI E OS EFEITOS MOBILIZADORES DA FORMAÇÃO DOCENTE EM NARRATIVAS (AUTO)BIOGRÁFICAS

Autores

  • Joelson de Sousa Morais UNICAMP
  • Franc-Lane Sousa Carvalho do Nascimento Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)
  • Maria Divina Ferreira Lima Universidade Federal do Piauí (UFPI)

Palavras-chave:

Escritas de si, Narrativas (auto)biográficas, Formação de Professores

Resumo

Este texto se configura como uma pesquisa teórica-bibliográfica primando pela abordagem narrativa (auto)biográfica para pensarmos os processos de formação de professores a partir das escritas de si enquanto contribuidoras de construção de saberes, conhecimentos e transformações que esta pode propiciar. Nos propomos a questionar como problemática de pesquisa:  Quais as contribuições das escritas de si nos processos de formação de professores tecidas em narrativas (auto)biográficas? Diante do exposto tecemos como objetivos deste artigo: entender os aspectos históricos-epistemológicos do campo das narrativas (auto)biográficas no Brasil; compreender o movimento da formação profissional da docência mediada pelas escritas narrativas de si, bem como refletir acerca das contribuições das narrativas (auto)biográficas escritas no processo de formação e desenvolvimento profissional de professores. A fundamentação teórico-epistemológica deste texto se pauta nos princípios da abordagem narrativa (auto)biográfica a qual somos pesquisadores dessa área e comungamos a partir das contribuições de: Delory-Momberger (2008), Josso (2010), Benjamin (2012), Goodson (2019), Nóvoa (1992), Bragança (2018), Passeggi; Souza (2010), entre outros. Os resultados do estudo revelam que o desafio posto no processo de formação de professores no contexto de uma pedagogia narrativa, é a adoção de dispositivos metodológicos na prática pedagógica pelos formadores de professores, com o uso de escritas narrativas de si, que pode ser empreendida pelo próprio formador, em diálogo com os estudantes em formação, para que criem uma cultura da escrita, e possam contribuir no seu processo formativo construindo conhecimentos e saberes necessários à profissão que os acompanharão, inclusive, no desenvolvimento profissional docente quando estiverem atuando na área.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Franc-Lane Sousa Carvalho do Nascimento, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Líder do GRUPO DE PESQUISAS INTERDISCIPLINARES: Educação, Saúde e Sociedade (CNPq/UEMA). Professora Adjunto I do Departamento de Educação da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) do Centro de Estudos Superiores de Caxias (CESC), e atualmente Diretora do Curso de Pedagogia. Trabalha ainda como Coordenadora Pedagógica e Formadora na Secretaria Municipal de Educação, Ciências e Tecnologia de Caxias (MA) - SEMECT.

Maria Divina Ferreira Lima, Universidade Federal do Piauí (UFPI)

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), e Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Piauí (UFPI). É professora do Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino (DMTE) da Universidade Federal do Piauí (UFPI) e Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGED/UFPI). Coordenadora do Núcleo de Pesquisa em Educação, Formação Docente, Ensino e Práticas Educativas (NUPEFORDEPE). Ministra as seguintes disciplinas na graduação: Didática geral. E na pós-graduação em educação: Prática Pedagógica e Pesquisa em Educação.

Referências

ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. Intencionalidade, reflexividade, experiência e identidade em pesquisa (auto)biográfica: dimensões epistemo-empíricas em narrativas de formação In.: BRAGANÇA, I. F. de S.; ABRAHÃO, M. H. M. B.; FERREIRA, M. S. (Orgs.). Perspectivas epistêmico-metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Curitiba: CRV, 2016. p. 29-50.

BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza. Pesquisaformação narrativa (auto)biográfica: trajetórias e tessituras teórico-metodológicas. In.: ABRAHÃO, M. H; M. B.; CUNHA, J. L. da; BÔAS, L. V. (Orgs). Pesquisa narrativa (auto)biográfica: diálogos epistêmico-metodológicos. Curitiba: CRV, 2018. p.65-81.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Tradução do russo: Paulo Bezerra. 4.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução: Sérgio Paulo Rouanet; prefácio Jeanne Marie Gagnebin. 8.ed São Paulo: Brasiliense, 2012.

CÂMARA, Sandra Cristinne Xavier da; PASSEGGI, Maria da Conceição. Memorial autobiográfico: uma tradição acadêmica no Brasil. In.: PASSEGGI, M. da C.; VICENTINI, P. P.; ZOUZA, E. C. de (Orgs.) Pesquisa autobiográfica: narrativas de si e formação. 1ªed. Curitiba, PR: CRV, 2013.

CUNHA, Maria Isabel da. Narrativas e formação de professores: uma abordagem emancipatória. In.: SOUZA, Elizeu Clementino de; GALLEGO, Rita de Cassia (Orgs.). Espaços, tempos e gerações: perspectivas (auto)biográficas. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. p.199-214.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Biografia e educação: figuras do indivíduo-projeto. Tradução de Maria da Conceição Passeggi, João Gomes da Silva Neto, Luís Passeggi. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2008.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários a prática educativa. São Paulo: Paz e terra, 1996.

GOODSON, Ivor F. Currículo, narrativa pessoal e futuro social. tradutor: Henrique Carvalho Calado; revisão da tradução: Maria Inês Petrucci-Rosa e José Pereira de Queiroz. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2019.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. Tradução de José Cláudio, Júlia Ferreira; revisão Maria da Conceição Passeggi, Marie-Christine Josso. 2. ed. rev. e ampl. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

NÓVOA, Antônio (Org). Vida de professores. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

NÓVOA, António; FINGER, Matthias. O método (auto)biográfico e a formação. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

PASSEGGI, Maria da Conceição; SOUZA, Elizeu Clementino de. O movimento (auto)biográfico no Brasil: esboço de suas configurações no campo educacional. Investigación qualitativa, vol.2, n.1 pp.6-26. 2017. Disponível em: <https://ojs.revistainvestigacioncualitativa.com/index.php/ric/article/view/56/36>. Acesso em: 29 ago. 2020.

PASSEGGI, Maria da Conceição. Narrar é humano! Autobiografar é um processo civilizatório. In.: PASSEGGI, M. da C.; SILVA, V. B. da. Invenções de vidas, compreensão de itinerários e alternativas de formação. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. 3.ed. São Paulo: Cortez, 2010.

ZABALZA, Miguel A. Diários de aula: um instrumento de pesquisa e desenvolvimento profissional. Tradução Ernani Rosa. Porto Alegre: Artmed, 2004.

Publicado

2020-12-18

Como Citar

de Sousa Morais, J., Sousa Carvalho do Nascimento, F.-L., & Ferreira Lima, M. D. (2020). AS ESCRITAS DE SI E OS EFEITOS MOBILIZADORES DA FORMAÇÃO DOCENTE EM NARRATIVAS (AUTO)BIOGRÁFICAS. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 17, 232-247. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/ch/article/view/3722

Edição

Seção

Dossiê: Formação de Professores

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##