QUALIDADE DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA RELAÇÃO COM OS DISCURSOS DA “QUALIDADE DO ENSINO”: EFICIÊNCIA, PRODUTIVIDADE E INCLUSÃO ESCOLAR

Autores

  • Raimundo Nonato Moura Oliveira Centro de Estudos Superiores de Caxias/Universidade Estadual do Maranhão
  • Georgyanna Andrea Silva Moraes
  • Maria da Glória Soares Barbosa Lima

Palavras-chave:

Qualidade da Formação de Professores. Diversidade e Diferença. Inclusão escolar.

Resumo

Que concepção de qualidade predominante orienta a formação de professores? Com esta indagação central, este texto, à luz dos significados de qualidade da educação e ensino em disputa nas políticas educacionais brasileiras, analisa a compreensão de qualidade da formação de professores para a escola básica, conforme vem se desenvolvendo nas últimas décadas. Adota a perspectiva histórica-dialética como referencial de pesquisa, e compreende que o ideário de qualidade do ensino, emergido do interesse de grupos dominantes para reintegração da educação na agenda econômica, nas iniciativas institucionalizadas, traz interpretativas teórico-práticas simplistas das políticas de formação docente para efetivar o direito dos alunos ao ensino de qualidade. Argumenta a importância da compreensão de qualidade socialmente referenciada por princípios de emancipação e construção de uma prática educativa para todos.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRÉ, M. (org.). Formação de professores no Brasil (1990-1998). Brasília: MEC; INEP; COMPED, 2002.

AZEVEDO, J. M. L. O Estado, a política e a regulação do setor educacional no Brasil: uma abordagem histórica. In: FERREIRA, N. S. C.; AGUIAR, M. A. da S. (org.). Gestão da educação: impasses, perspectivas e compromissos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2001. p. 17-42.

BEISIEGEL, C. de R. A qualidade do ensino na escola pública. Brasília: Líber Livro editora, 2005.

BEISIEGEL, C. de R. Estado e educação popular: um estudo sobre a educação de adultos. São Paulo: Pioneira, 1974.

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 20 maio 2019.

BRASIL. Parecer CNE/CP nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file. Acesso em: 10 fev. 2020.

BRASIL. Lei nº. 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação (2001-2010). Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2001/lei-10172-9-janeiro-2001-359024-publicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em: 9 ago. 2020.

BRASIL. Lei nº. 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação (2014-2024). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 9 ago. 2018.

BRASIL. Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União. Brasília, 21 de dezembro de 1996.

BRASIL. Parecer CNE/CP nº 2, de 9 de junho de 2015. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para Formação Inicial e Continuada dos Profissionais do Magistério da Educação Básica. Brasília, DF, 2015a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php? option=com_docman&view=download&alias= 17625-parecer- cne-cp-2-2015-aprovado-9-junho-2015&category_slug=junho- 2015-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 15 out. 2015.

BRASIL. Conae 2014: Conferência Nacional de Educação: documento – referência [elaborado pelo] Fórum Nacional de Educação. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria Executiva Adjunta, [2013]. 96 p. Disponível em: http://conae2014.mec.gov.br/documentos. Acesso em: 03 maio 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasilia, DF: MEC/SEF, 1997. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro01.pdf. Acesso em: 10 jan. 2015.

BRUNS, B.; LUQUE, J. Great teachers: how to raise student learning in Latin America and the Caribbean. Washington, DC: World Bank, 2014. Disponível em: https:// openknowledge.worldbank.org/handle/10986/20488. Acesso em: 1 jun. 2019.

CAMPOS, M. M. Entre as políticas de qualidade e a qualidade das práticas. Cadernos de Pesquisa. v. 43. n. 148. p. 22-43. jan/abril, 2013.

CAMPOS, M. M. A qualidade da educação em debate. Estudos em avaliação educacional, São Paulo, n. 22, p. 5-35, jul./dez. 2000. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/eae/article/view/2215. Acesso em: 30 jun. 2018.

CAMPOS, M. M.; COELHO, R. de. C; CRUZ, S. H. V. Consulta sobre a qualidade da educação na escola. Relatório técnico final. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 2006. (Textos FCC, n. 26).

CARVALHO, J. S. F. A qualidade de ensino vinculada à democratização do acesso à escola. Estudos Avançados. São Paulo, n. 60, p. 307-310, 2007.

CASALI, A. “O que é educação de qualidade?” Quanto custa universalizar o direito à educação? Brasília: UNICEF/CONANDA, 2011.

CASASSUS, J. A reforma educacional na América latina no contexto de globalização. Cadernos de Pesquisa, Campinas, n. 114, p. 7-28, nov. 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cp/n114/a01n114. Acesso em: 20 nov. 2017.

CONTRERAS, J. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2010.

CURY, C. R. J. Qualidade em educação. Nuances: estudos sobre Educação, São Paulo, ano XVII, v. 17, n. 18, p. 15-31, jan./dez. 2010. Disponível em:

https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/721. Acesso em: 2 maio 2020

DOURADO, L. F.; OLIVEIRA, J. F. A qualidade da educação: perspectivas e desafios. Cadernos Cedes, Campinas v. 29, n. 78, p. 201-215, maio/ago. 2009.

DOURADO, L. F.; OLIVEIRA, J. F.; SANTOS, C. de A. A qualidade da educação: conceitos e definições. Série Documental, Textos para discussão, Brasília, v. 24, n. 22, 2007.

DUARTE, N. Conhecimento tácito e conhecimento escolar na formação do professor (por que Donald Schön não entendeu Luria). Educação & Sociedade, Campinas, v. 24, n. 83, p. 601-625, 2003.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

GATTI, B. A. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educ. Soc., Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out.-dez. 2010. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em: 09 ago. 2020.

GENTILI, P. O discurso da qualidade como nova retórica conservadora no campo educacional. In: GENTILI, P.; SILVA, T. T. (org.). Neoliberalismo: qualidade total e educação: visões críticas. 4ª edição. Petrópolis: Vozes, 1996. p. 111-177.

GIROUX, H. A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

GODENZZI, J. C. Introducción/diversidad histórica y diálogo intercultural. Perspectiva latinoamericana. Tinkui Boletín de Investigación y Debate, Universidad de Montreal, n. 1, Invierno, 2005, p. 4-10. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=3302998. Acesso em: 07 out. 2020

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. v. 1. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

GRAMSCI, A. Concepção dialética da história. Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

HADDAD, S.; DI PIERRO, M. C. Escolarização de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, n, 14, p. 108-130, mai/ago. 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n14/n14a07.pdf. Acesso em: 02 jun. 2011.

LIMA, A. B. de (org.). Qualidade na (da) educação: aproximações e retenções sobre o tema. In: LIMA, A. B. de. Qualidade da educação superior: o Programa REUNI. Jundiaí-SP, Paco Editora, 2014. p. 17-46.

LOVISOLO, H. A educação de adultos entre dois modelos. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 67, p. 23-40, nov., 1988.

MALANCHEN, J. Cultura, conhecimento e currículo: contribuições da pedagogia histórico-crítica. Campinas, SP: Autores Associados, 2016.

MCLAREN, P. Multiculturalismo crítico. São Paulo: Cortez: Instituto Paulo Freire, 2000.

MCLAREN, P. Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. In: CANDAU, V. M; MOREIRA, A. F. (org.). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

MORAES, M. de, M. C. Recuo da teoria: dilemas na pesquisa em educação. Revista Portuguesa de Educação, vol. 14, núm. 1, 2001, p. 7-25 Universidade do Minho Braga, Portugal. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=37414102. Acesso em: 02 jun. 2020.

NÓVOA, A. Tendências atuais na formação de professores: o modelo universitário e outras possibilidades de formação. In: CONGRESSO ESTADUAL PAULISTA SOBRE FORMAÇÃO DE EDUCADORES, 11., 2011, Águas de Lindoia. Anais... Águas de Lindoia: Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores, 2011.

OLIVEIRA, R. P. Da universalização do ensino fundamental ao desafio da qualidade: uma análise histórica. Educ. Soc., Campinas, v. 28, n. 100 - Especial, p. 661-690, out. 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v28n100/a0328100. Acesso em: 6 mar. 2016.

PAIVA, V. Educação popular e educação de adultos: uma contribuição à história da educação no Brasil. São Paulo: Loyola, 1973.

PEREZ GÓMEZ, A. O pensamento prático do professor: a formação do professor como profissional reflexivo. In: NÓVOA, A. (org.). Os professores e a sua formação. 3. ed. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1997. p. 93-144.

ROMERO, C. G. Pluralismo, multiculturalismo e interculturalidad. Educación y Futuro: revista de investigación aplicada y experiencias educativas, n. 8, 2003, p. 11-20.

Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=2044239. Acesso em: 07 out. 2020.

ROSEMBERG, F. Raça e desigualdade educacional no Brasil. In: AQUINO, J. G. (coord.). Diferenças e preconceito na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1998. p. 73-91.

SHIROMA, E. O.; MORAES, M. C. M. de; EVANGELISTA, O. Política educacional. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

Publicado

2020-12-18

Como Citar

Moura Oliveira, R. N., Moraes, G. A. S., & Lima, M. da G. S. B. . (2020). QUALIDADE DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA RELAÇÃO COM OS DISCURSOS DA “QUALIDADE DO ENSINO”: EFICIÊNCIA, PRODUTIVIDADE E INCLUSÃO ESCOLAR. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 17, 217-231. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/ch/article/view/3719

Edição

Seção

Dossiê: Formação de Professores