FORMAÇÃO CONTINUADA: A ESCOLA COMO ESPAÇO DE DIÁLOGO E FORTALECIMENTO DOCENTE

Autores

  • Jéssica Luana Casagrande Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Camila de Fátima Soares dos Santos Universidade Federal da Fronteira Sul

Palavras-chave:

Formação continuada. Escola. Políticas Educacionais.

Resumo

O presente artigo discute a formação continuada dos professores, tendo como espaço de formação a própria escola. Objetivou-se refletir acerca das condições e pressupostos que embasam essa formação e a visão dos professores e gestores frente às práticas formativas que são desenvolvidas. A pesquisa foi realizada em uma escola pública, situada em um município da região oeste catarinense. Metodologicamente, realizou-se a partir de uma abordagem qualitativa, com análise bibliográfica e a aplicação de questionários para professores e gestores. A análise desse estudo possibilita a compreensão sobre a importância de construir novas condições para a realização dessa formação para que ela assuma um espaço que permite aos professores o acolhimento de suas necessidades e o melhoramento das práticas educativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, R. P. Prevenção e remediação das dificuldades de aprendizagem: adaptação do modelo de resposta à intervenção numa amostra brasileira. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação e Saúde na Infância e na Adolescência) – Universidade Federal de São Paulo, Guarulhos.

ARROYO, Miguel G. Ofício de Mestre: imagens e autoimagens. Petrópolis, RJ, Vozes, 2000.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica: orientações gerais. 2004. Acesso em 10 dez. 2011.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 26 jun. 2014. [Edição extra – seção 1].

BARBOSA, Raquel Lazzari Leite. Trajetórias e perspectivas da formação de educadores. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

CANÁRIO, Rui. A escola tem futuro? Das promessas às incertezas. Porto Alegre, Artmed, 2006.

CARVALHO, Janete Magalhães. O não lugar dos professores nos entrelugares de formação continuada. Revista Brasileira de educação. Rio de Janeiro, 2005.

DEMAILLY, Lise (1990). Módeles de formation continue et stratégies de changement. Innovations, 19-20, pp. 7-25

DI GIORGI, Cristiano Amaral Garboggini et. all. Necessidades formativas de professores de redes municipais: contribuição para a formação de professores crítico-reflexivos. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

DOMINICÉ, Pierre (1990). L’histoire de vie comme processos de formation. Paris: Éditions L’Harmattan.

FELDMANN, M. G. Formação de professores e escola na contemporaneidade. São Paulo. Senac. 2009

GATTI, Bernardete. Análise das políticas públicas de formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação, 2008.

GINSBURG, MARK. (1990) El proceso de trabajo y la acción política de los educadores. Revista de Educación (número especial sobre “Los usos de la comparación em Ciencias Sociales y em educación”), pp. 317-345.

IMBERNÓN, Francisco. Formação permanente do professorado: novas tendências. São Paulo: Cortez, 2009

LIBÂNEO, J.C. Adeus professor, Adeus professora? Novas tecnologias educacionais e profissão docente. 4. ed. - São Paulo: Cortez, 2011.

MIZUKAMI. Docência, trajetórias pessoais e desenvolvimento pessoal. In: REALI, A. M. M. R., MIZUKAMI, M. G. N. (Orgs.). Formação de professores: tendências atuais. São Paulo: EDUFSCar, 2003.

NÓVOA, Antonio. Formação de professores e trabalho pedagógico. 1954. Educa. Lisboa.

NÓVOA, A. Concepções e práticas da formação continuada de professores: In: Nóvoa A. (org.). Formação contínua de professores: realidade e perspectivas. Portugal: Universidade de Aveiro, 1991.

NÓVOA, A. 2002. Formação de professores e trabalho pedagógico. Lisboa, Educa.

NÓVOA, Antonio. Formação de professores e a profissão docente. In: NÓVOA, A. (Org.). Os professores e a sua formação. Portugal, Dom Quixote, 1995

NÓVOA, Antonio. A solução pode estar no trabalho de pensar o trabalho. Portugal: Número Zero, Abril de 2004. Entrevista conduzida por João Rita.

NÓVOA. O regresso dos professores. Conferência: Desenvolvimento profissional de professores para a qualidade e para a equidade da Aprendizagem ao longo da vida, Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia. Lisboa, 27 e 28 de setembro de 2007.

OLIVEIRA, I. B.; SGARBI, P. (2008) Estudos do cotidiano e educação. Belo Horizonte, Autêntica Editora

OLIVEIRA, Valeska Fortes de. Paisagens distintas, territórios comuns: por onde andamos transitando na pesquisa com professores? 29ª reunião Anual da Anped. GT: Formação de Professores/n.08, 2006.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: saberes e identidade, in: PIMENTA, S.G. Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 1998.

RIBAS, Mariná Holzmann; CARVALHO, Marlene Araújo de; ALONSO, Myrtes. Formação continuada de professores e mudança na prática pedagógica. In: ALONSO, Myrtes. (Org.). Prática docente: teoria e prática. São Paulo: Pioneira, 1999.

SANTOS, T. F. Á. Gestão democrática na escola pública: o olhar dos educadores da rede pública municipal de Rondonópolis. 2014. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, do Instituto de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário de Rondonópolis. Rondonópolis, MT: UFMT, 2014.

ZEICHNER, Kenneth M. A formação reflexiva de professores: ideias e práticas. Lisboa: Educa, 1993.

Publicado

2020-12-18

Como Citar

Casagrande, J. L., & Soares dos Santos, C. de F. (2020). FORMAÇÃO CONTINUADA: A ESCOLA COMO ESPAÇO DE DIÁLOGO E FORTALECIMENTO DOCENTE. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 17, 262-276. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/ch/article/view/3702

Edição

Seção

Dossiê: Formação de Professores