INSERÇÃO PROFISSIONAL: APRENDIZAGENS, DESAFIOS E IMPLICAÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PRÁTICA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Autores

  • Diana Aguiar Salomão Universidade Estatual do Ceará
  • Sandy Lima Costa Universidade Estadual do Ceará
  • Francisco Mirtiel Frankson Moura Castro Universidade Estadual do Ceará

Palavras-chave:

Inserção profissional, Professora iniciante, Educação Infantil, Aprendizagem da docência, Formação.

Resumo

Este artigo discute a inserção profissional, objetivando compreender que aprendizagens, desafios e implicações essa fase da formação docente tem para a prática pedagógica de uma pedagoga que atua na Educação Infantil na rede municipal de ensino de Fortaleza - Ceará. A pesquisa, desenvolvida em 2019, utilizou a abordagem qualitativa, realizando um estudo de caso. Para a produção de dados, foi utilizado um questionário eletrônico misto (fase I da pesquisa), e a entrevista narrativa (fase II da pesquisa). Para a análise, foi adotado o método de Análise Textual Discursiva. O embasamento teórico deste estudo recorreu a estudos relativos à inserção profissional e à aprendizagem da docência, especificamente no contexto da Educação Infantil. Os dados revelaram que a docente vivenciou paralelamente os sentimentos de sobrevivência e descoberta da profissão; a aprendizagem da docência partiu de iniciativa pessoal pela busca contínua por conhecimentos, além de interação com os pares e a experiência em sala; e a falta de apoio institucional foi elencada como um dos principais desafios para a inserção na profissão. Concluímos, portanto, que é necessário planejar e implementar políticas públicas educacionais voltadas especificamente para o acompanhamento sistematizado de professores iniciantes, visando à promoção de processos institucionais de indução que supram as necessidades formativas dessa etapa da formação profissional docente. Além disso, ratificamos a necessidade de ampliar a colaboração entre escola e universidade para favorecer a aprendizagem da docência por meio de experiências que promovam a articulação entre teoria e prática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diana Aguiar Salomão, Universidade Estatual do Ceará

Mestranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Ceará (PPGE/UECE). Especialista em Educação Infantil e Múltiplas Linguagens pela Faculdade 7 de Setembro. Licenciada em Pedagogia pela Faculdades Cearenses - (Centro de Ensino Superior do Ceará). Membro do grupo Diálogos com a Abordagem Pikler: estudos e pesquisas com bebês e crianças bem pequenas, o qual desenvolve estudos sobre o cuidar e o educar crianças de 0 a 3 anos na perspectiva da pedagogia dos pequenos detalhes.  Integrante do Grupo de Pesquisa Educação, Cultura Escolar e Sociedade (EDUCAS). Desenvolve estudos e pesquisas sobre desenvolvimento profissional docente, currículo da Educação Infantil, inovação pedagógica, docência e indução profissional. Atua na Educação Básica (Educação Infantil e Ensino Fundamental) desde 2008 e na formação de docentes desde 2014. Atualmente, professora efetiva da Rede Municipal de Ensino de Fortaleza/ Educação Infantil.

Sandy Lima Costa, Universidade Estadual do Ceará

Mestranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Ceará - PPGE/UECE. Bolsista, na Pós-Graduação, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES. Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará - UECE. Integra o Grupo de Pesquisa Educação, Cultura Escolar e Sociedade - EDUCAS. Exerceu atividades como bolsista de Iniciação Científica da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Possui experiência na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Foi professora da Educação Infantil da rede pública de ensino do município de Fortaleza - CE. Desenvolve estudos sobre Formação de professores, Desenvolvimento Profissional Docente, Inovação Pedagógica e Indução Profissional.

Francisco Mirtiel Frankson Moura Castro, Universidade Estadual do Ceará

Pós-Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Doutor em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), na Linha de Pesquisa Formação, Didática e Trabalho Docente, no Núcleo de Pesquisa Didática, Saberes Docentes e Prática Pedagógica. Possui Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Linha de Pesquisa: Educação Currículo e Ensino, Eixo: Formação de Professores. Especialista em Gestão, Planejamento e Avaliação Escolar pelo Instituto Superior de Teologia Aplicada - INTA. Graduado em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Licenciado em Geografia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). Professor Assistente, nível D, do Setor de Estudos Metodologia e Pesquisa em Educação da Universidade Estadual do Ceará (UECE) e docente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UECE. Coordenador do Grupo de Estudos Pesquisas em Educação, Saberes e Aprendizagem da Docência (GEPESAD) e do Projeto de Extensão Núcleo de Estudos de Didática, Interação e Metodologias de Pesquisas em Educação (NEDIMPE) e NEDIMPE - TEATRO COM FANTOCHES. Foi professor da Educação Básica e docente substituto do setor de Teoria e Prática da UECE. Escreve mensalmente artigos de opinião para a coluna de Educação do jornal da Diocese de Itapipoca, que circula impresso no Estado do Ceará, com mala direta para São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro, o qual tem publicação também on-line. Participa do Grupo de Pesquisa Colabor(Ação): Estudos e Pesquisas em Educação de Pessoas Jovens, Adultas e Idosas, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, do Grupo de Pesquisa Educação, Cultura Escolar e Sociedade (EDUCAS), da UECE e do ? Laboratório de práticas, estudos e pesquisas em formação de professores ? Universidade e Escolas de Educação Básica (Laconex@o) | Universidade Federal da Paraíba / UFPB).

Referências

ALARCÃO, I; ROLDÃO, M. DO C. Um Passo importante no desenvolvimento profissional dos professores: o ano da indução. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, v. 06, p. 109-126, ago/dez. 2014. Disponível em: https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/108/97. Acesso em: 14 ago. 2020.

ANDRÉ, M. E. D. Professores iniciantes: egressos de programas de iniciação à docência. Revista Brasileira de Educação, v. 23, jul. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1413-24782018000100280&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 30 nov. 2019. DOI 10.1590/S1413-24782018230095

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO. Ética e pesquisa em Educação: subsídios. Rio de Janeiro: ANPEd, 2019. Disponível em: http://www.anped.org.br/biblioteca/item/etica-e-pesquisa-em-educacao-subsidios. Acesso em: 28 out. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional da Educação. Resolução CNE/CP Nº 1, de 5 de maio de 2006. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Brasília: MEC/SEF, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf. Acesso em: 5 jan. 2020.

BRASIL. Palácio do Planalto. Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008. Regulamenta o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o piso salarial nacional para os profissionais do magistério público da educação básica. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11738.htm. Acesso em: 10 dez. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretária da Educação Básica. Projeto de Cooperação Técnica MEC e UFRS para Construção de Orientações Curriculares para a Educação Infantil. Práticas cotidianas na Educação Infantil: bases para a reflexão sobre as orientações curriculares. Brasília: MEC/SEB/UFRS, 2009a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/relat_seb_praticas_cotidianas.pdf. Acesso em: 12 jan. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional da Educação. Resolução CNE/CP Nº 05, de 17 de dezembro de 2009. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 2009b. Disponível em: http://www.seduc.ro.gov.br/portal/legislacao/RESCNE005_2009.pdf. Acesso em: 5 jan. 2020.

CARDOSO, S. Professores iniciantes da Educação Infantil: encantos e desencantos da docência. 2013. 157 f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2013.

COCHRAN-SMITH, M. Um conto de dois professores: aprendendo a ensinar ao longo do tempo. Kappa Delta Pi Record, v. 48, n. 3, p. 108-122, 2012. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/00228958.2012.707501. Acesso em: 16 dez. 2019. DOI 10.1080 / 00228958.2012.707501

FOLQUE, M. A. A formação de educadores/as de infância: da exigência e complexidade da profissão ao projeto de formação na UniverCidade de Évora. Poiésis - Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação, [S.l.], v. 12, n. 21, p. 32-56, jul. 2018. Disponível em: http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Poiesis/article/view/6406. Acesso em: 10 dez. 2019. DOI 10.19177/prppge.v12e21201832-56

FORTALEZA. Conselho Municipal de Educação. Resolução n° 002/2010. Fixa normas para o Ato de Criação, Credenciamento e Autorização de Funcionamento de Instituições Públicas e Privadas de Educação Infantil no âmbito do Sistema Municipal de Ensino de Fortaleza. Fortaleza: SME/CME, 2010. Disponível em: http://cme.sme.fortaleza.ce.gov.br/index.php/component/content/article/17-uncategorised/5-resolucoes. Acesso em: 12 fev. 2020.

FRANCO, M. A. R. S. Prática pedagógica e docência: um olhar a partir da epistemologia do conceito. Rev. bras. Estud. Pedagog. Brasília, v. 97, n. 247, p. 534-551, set./dez. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2176-66812016000300534&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 06 abr. 2020. DOI 10.1590/S2176-6681/288236353

GATTI, B. A.; BARRETO, E. S. S. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília, DF: UNESCO, 2009.

GATTI, B. A.; BARRETO, E. S. S.; ANDRÉ, M. E. D. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: UNESCO, 2011.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (Org.). Vida de professores. Portugal: Porto Editora, 2007. p. 31-61.

JOVCHELOVICH, S.; BAUER, M. W. Entrevista Narrativa. In: BAUER, M. W., GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis Vozes; 2002, p. 90-111.

LIMA, E. F. et al. Sobrevivências no início da docência. Brasília: Liber livro, 2006.

LIMA, E. F. A construção do início da docência: reflexões a partir de pesquisas brasileiras. Revista do Centro de Educação (UFSM), Santa Maria, v.29, n.2, p.85-98, 2004. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/3841. Acesso em: 15 dez. 2019.

MARCELO GARCIA, C. Formação de professores: para uma mudança educativa. Portugal: Porto Editora, 1999.

MARCELO, C.; GALLEGO-DOMÍNGUEZ, C.; MURILLO-ESTEPA, P.; MARCELO-MARTÍNEZ, P. Aprender a acompañar: análisis de diarios reflexivos de mentores en un programa de inducción. Profesorado. Revista de currículum y formación del profesorado, vol. 22, n. 1, p. 461-480, 2018. Disponível em: https://recyt.fecyt.es/index.php/profesorado/article/view/63653. Acesso em: 14 ago. 2020.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação, Bauru, v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-73132003000200004&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 17 jan. 2020. DOI 10.1590/S1516-73132003000200004

NÓVOA, A. Entre a formação e a profissão: ensaio sobre o modo como nos tornamos professores. Currículo sem fronteiras, v. 19, n. 1, p. 198-208, jan./abr. 2019. Disponível em: https://www.curriculosemfronteiras.org/vol19iss1articles/novoa.pdf. Acesso em: 14 ago. 2020.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, J. O desenvolvimento Profissional das Educadoras de Infância: entre os saberes e os afetos, entre a sala e o mundo. In: KISHIMOTO, T. M. (Org.). Formação em Contexto: uma estratégia de integração. São Paulo: Pioneira, 2002.

PLACCO, V. M. N. S.; SOUZA, V. L. T. Aprendizagem do adulto professor. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

PIMENTA, S. G. (Org.). Saberes pedagógicos e atividades docentes. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2009. 246p.

STAKE, R. A arte da investigação com estudos de caso. 4. ed. London: SAGE, 2016.

STAKE, R. Pesquisa qualitativa: estudando como as coisas funcionam. Porto Alegre: Penso, 2011.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

VAILLANT, D.; MARCELO, C. Ensinando a ensinar: as quatro etapas de uma aprendizagem. Curitiba: Ed. UTFPR, 2012.

Publicado

2020-12-18

Como Citar

Salomão, D. A., Costa, S. L., & Castro, F. M. F. M. . (2020). INSERÇÃO PROFISSIONAL: APRENDIZAGENS, DESAFIOS E IMPLICAÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PRÁTICA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 17, 350-368. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/ch/article/view/3687

Edição

Seção

Dossiê: Formação de Professores