EDUCAÇÃO AMBIENTAL, CONSUMO E RESÍDUOS SÓLIDOS: AS CONCEPÇÕES DE PROFESSORAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL

  • Natália Teixeira Ananias Freitas Faculdade de Ciências e Tecnologia - FCT/UNESP
  • Fátima Aparecida Dias Gomes Marin UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO - UNESP
Palavras-chave: Educação Infantil; Educação Ambiental; Consumo; Resíduos Sólidos; Formação de Professores.

Resumo

Este artigo apresenta um recorte da pesquisa de Doutorado  “Educação Ambiental, Consumo e Resíduos Sólidos no contexto da Educação Infantil: um diálogo necessário com os professores”, pertencente ao PPGE/FCT UNESP, Pres. Prudente-SP. O objetivo deste estudo consistiu em discutir a formação de professores e suas concepções e práticas pedagógicas diante da Educação Ambiental em Resíduos Sólidos no contexto da Educação Infantil. Os apontamentos metodológicos dizem respeito a abordagem qualitativa, do tipo “estudo de caso”. Foram elencadas 10 professoras de pré-escola inseridas em Escolas Municipais de Educação Infantil como sujeitos da pesquisa e os dados foram obtidos com entrevistas semi-estruturadas. A realização da pesquisa teve aprovação do Comitê de Ética e Pesquisa da FCT/UNESP, conforme CAAE: 52627515.1.0000.5402. Apresentamos neste artigo as discussões relativas às concepções pedagógicas sobre Educação Ambiental, Consumo e Resíduos Sólidos mencionadas pelas professoras de Educação Infantil. As concepções  das professoras sobre Educação Ambiental  perpassam o viés da Conscientização Ambiental, ligada a relação da criança com o meio em que vive. Em relação aos Resíduos Sólidos, as professoras conectam a temática com a reciclagem. A maioria das professoras compreende a distinção entre Consumo e Consumismo. Acreditamos que a Educação Ambiental em Resíduos Sólidos deve ser realizada na Educação Infantil a partir de situações cotidianas e norteadas por práticas pedagógicas adequadas às possibilidades de compreensão das crianças, o que inclui uma boa formação inicial e continuada dos professores a respeito das questões ambientais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natália Teixeira Ananias Freitas, Faculdade de Ciências e Tecnologia - FCT/UNESP
Graduada em Pedagogia pela FCT/UNESP (2006) e Habilitada em Educação Infantil pela FCT/UNESP (2007); Mestra em Educação pelo PPGE - FCT/UNESP (2012) e Doutoranda em Educação pelo PPGE - FCT/UNESP(2014-2018) Presidente Prudente

Referências

ALONSO, A. Métodos Qualitativos de Pesquisa: uma introdução. In: ALONSO, A; LIMA, M; ALMEIDA, R. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais: Bloco Qualitativo. São Paulo: SESC São Paulo/CEBRAP, 2016. p. 08-23.

ARAÚJO, R. M. B. A formação dos professores para a Educação Infantil: novos olhares. Revista de Educação do Cogeime, v. 14, n. 27, p. 55-65, dez. 2005. Disponível em: http:www.redemetodista.edu.br/revistas/revistascogeime/index.php/COGEIME/article/viewfile/651/595. Acesso em: 01 abr. 2018.

BARROS, V.; TOZONI-REIS,M. Reinventando o ambiente: Educação Ambiental na Educação Infantil. Cadernos de Educação, Pelotas, v. 29, n. 77, p. 131-135, Set./Dez. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622009000100009&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 01 abr. 2018. DOI: 10.1590/S0101-32622009000100009

BORTOLOZZI, A; PERES FILHO, A. Diagnóstico da Educação Ambiental no ensino de Geografia. Cadernos de Pesquisa, n. 109, p. 145-171, mar. 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttet&pid=S0100-15742000000100007&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 15 abr. 2019. DOI: 10.1590/S0100-15742000000100007

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Lei nº 9795 de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Brasília, 27 de abril de 1999. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9795.htm. Acesso em: 11 ago. 10.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Lei nº 12.305, de 02 de agosto de 2010. Dispõe sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos, altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Brasília, 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm. Acesso em: 01 fev. 2015.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Resolução nº 2, de 15 de Junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Brasília, 15 de junho de 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br. Acesso em: 07 fev. 2015.

BRONDANI, C. J; HENZEL, M. E. Análise sobre a conscientização ambiental em escolas da Rede Municipal de Ensino. Revista Brasileira de Educação Ambiental (REVBEA), v. 5, n. 1, p. 37-44, 2010. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/revbea/article/view/1715 Acesso em: 01 dez. 2017. DOI: 10.34024/revbea.2010.v5.1715.

CAPITULINO, C. S; ALMEIDA, O. A. Professores da Educação Infantil e a prática da Educação Ambiental: Contexto Educativo. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Porto Alegre, v. 31, p. 117-137, jan./jun. 2014.

CARVALHO, L. M. A temática ambiental e o processo educativo: dimensões e abordagens. In:

CINQUETTI, H. C. S., LOGAREZZI, A. (Org.) Consumo e Resíduos: Fundamentos para o Trabalho Educativo. São Carlos: EdUFSCar, 2006. p. 19-41.

CORTEZ, A. T. C. Consumo e Desperdício: as duas faces das desigualdades. In: ORTIGOZA, S. A. G; CORTEZ, A. T. C. (orgs). Da produção ao consumo: impactos socioambientais no espaço urbano. São Paulo: Editora UNESP/Cultura Acadêmica, 2009, p. 35-61.

DEMO, P. Metodologia da Investigação em Educação. Curitiba: IBPEX, 2005.

DOURADO, J; BELIZÁRIO, F. (org). Reflexão e Práticas em Educação Ambiental: discutindo o consumo e a geração de resíduos. São Paulo: Oficina de Textos, 2012.

GADOTTI, M. A carta da Terra na Educação. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2010.

GUIMARÃES, M. A Dimensão Ambiental na Educação. Campinas: Papirus, 2013.

LAMBERTUCCI, H. Educação Ambiental e Escola Pública: concepções e práticas pedagógicas nos materiais didáticos institucionais (1988-2005). 2008. 191 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências, Rio Claro-SP, 2008.

MANSOR, M. T. C. et al. Cadernos de Educação Ambiental: Resíduos Sólidos. São Paulo: Governo do Estado de São Paulo, Secretaria do Meio Ambiente, Coordenadoria de Planejamento Ambiental, 2010.

LAYARGUES, P. O cinismo da reciclagem: o significado ideológico da reciclagem da lata de alumínio e suas implicações para a educação ambiental. In: LOUREIRO, F.; LAYARGUES, P.; CASTRO, R. (Orgs.) Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. São Paulo: Cortez, 2002. p. 179-220.

LOGAREZZI, A. Educação Ambiental em resíduo: uma proposta de terminologia. In: CINQUETTI, H.C.S; LOGAREZZI, A. (Orgs.). Consumo e Resíduo: Fundamentos para o trabalho educativo. São Carlos: EduUFSCAR, 2006, p. 85-117.

LOGAREZZI, A. J. M. Educação Ambiental em comunidades de aprendizagem: uma abordagem crítico-dialógica. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 33, 2010, Caxambu. Anais... Caxambu, ANPEd, 2010. Disponível em: http://33reuniao.anped.org.br/internas/ver/trabalhos-gt22. Acesso em: 16 abr. 2019.

LOUREIRO, C. F. B. A relação teoria-prática na formação de professores em Educação Ambiental. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO, 15., 2010, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: Autêntica, 2010. (Convergências e Tensões no campo da formação e do trabalho docente) p. 106-123.

LOUREIRO, C. F. B; LAYARGUES, P.; CASTRO, R. (Orgs.) Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. São Paulo: Cortez, 2011.

LUDKE, M; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em Educação: Abordagens Qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MAXIMO-ESTEVES, L. Da teoria à prática: Educação Ambiental com as crianças pequenas ou o fio da História. Porto: Porto Editora, 1998.

MIELKE, P. E. Princípios da educação ambiental nas práticas e discursos de professores do ensino fundamental. 2010. 164 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Rio Claro, 2010. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/90049. Acesso em: 15 abr. 2017.

PORTILHO, F. Sustentabilidade Ambiental, consumo e cidadania. São Paulo: Cortez, 2005.

PROFESSORA 1. Entrevista acerca concepções pedagógicas sobre Educação Ambiental, Consumo e Resíduos Sólidos. Entrevistadores: Natália Teixeira Ananias Freita e Fátima Aparecida Dias Gomes Marin. Presidente Prudente, 2017. Entrevista concedida para a pesquisa.

PROFESSORA 2. Entrevista acerca concepções pedagógicas sobre Educação Ambiental, Consumo e Resíduos Sólidos. Entrevistadores: Natália Teixeira Ananias Freita e Fátima Aparecida Dias Gomes Marin. Presidente Prudente, 2017. Entrevista concedida para a pesquisa.

PROFESSORA 3. Entrevista acerca concepções pedagógicas sobre Educação Ambiental, Consumo e Resíduos Sólidos. Entrevistadores: Natália Teixeira Ananias Freita e Fátima Aparecida Dias Gomes Marin. Presidente Prudente, 2017. Entrevista concedida para a pesquisa.

PROFESSORA 4. Entrevista acerca concepções pedagógicas sobre Educação Ambiental, Consumo e Resíduos Sólidos. Entrevistadores: Natália Teixeira Ananias Freita e Fátima Aparecida Dias Gomes Marin. Presidente Prudente, 2017. Entrevista concedida para a pesquisa.

PROFESSORA 5. Entrevista acerca concepções pedagógicas sobre Educação Ambiental, Consumo e Resíduos Sólidos. Entrevistadores: Natália Teixeira Ananias Freita e Fátima Aparecida Dias Gomes Marin. Presidente Prudente, 2017. Entrevista concedida para a pesquisa.

PROFESSORA 6. Entrevista acerca concepções pedagógicas sobre Educação Ambiental, Consumo e Resíduos Sólidos. Entrevistadores: Natália Teixeira Ananias Freita e Fátima Aparecida Dias Gomes Marin. Presidente Prudente, 2017. Entrevista concedida para a pesquisa.

PROFESSORA 7. Entrevista acerca concepções pedagógicas sobre Educação Ambiental, Consumo e Resíduos Sólidos. Entrevistadores: Natália Teixeira Ananias Freita e Fátima Aparecida Dias Gomes Marin. Presidente Prudente, 2017. Entrevista concedida para a pesquisa.

PROFESSORA 8. Entrevista acerca concepções pedagógicas sobre Educação Ambiental, Consumo e Resíduos Sólidos. Entrevistadores: Natália Teixeira Ananias Freita e Fátima Aparecida Dias Gomes Marin. Presidente Prudente, 2017. Entrevista concedida para a pesquisa.

PROFESSORA 9. Entrevista acerca concepções pedagógicas sobre Educação Ambiental, Consumo e Resíduos Sólidos. Entrevistadores: Natália Teixeira Ananias Freita e Fátima Aparecida Dias Gomes Marin. Presidente Prudente, 2017. Entrevista concedida para a pesquisa.

PROFESSORA 10. Entrevista acerca concepções pedagógicas sobre Educação Ambiental, Consumo e Resíduos Sólidos. Entrevistadores: Natália Teixeira Ananias Freita e Fátima Aparecida Dias Gomes Marin. Presidente Prudente, 2017. Entrevista concedida para a pesquisa.

RODRIGUES, C. Educação Infantil e Educação Ambiental: um encontro das abordagens teóricas com a prática educativa. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. v. 26, p. 169-482, jan./jun. 2011.

RUFFINO, S. F. A Educação ambiental nas escolas municipais de educação infantil de São Carlos-SP. 2003. 109 f. Dissertação (Mestrado em Educação) Departamento de Metodologia de Ensino, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2003.

SANCHES, L. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos. São Paulo: Oficina de Textos, 2008.

SCHOR, J.B. Nascidos para comprar: uma leitura essencial para orientarmos nossas crianças na era do consumismo. São Paulo: Editora Gente, 2009.

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Cortez Editora, 2007.

SILVA, A. B. B. Mentes Consumistas: do consumismo à compulsão por compras. São Paulo: Globo, 2014.

SLATER, D. Cultura do Consumo e Modernidade. São Paulo: Nobel, 2002.

SORRENTINO, M. (et al). Educação Ambiental como política pública. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 285-299, maio/ago. 2005. Disponível em: http://www.diagramaeditorial.com.br/cescar/material_didatico/ea-como-politicapublica. pdf. Acesso: 01 jan. 2018. DOI: 10.1590/S1517-97022005000200010

SOBARZO, L.C.D. Resíduos Sólidos: Do conhecimento Científico ao Saber Curricular – a releitura do tema em livros didáticos de Geografia. 2008. Tese (Doutorado em Geografia). Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente – SP, 2008.

TIRIBA, L. Crianças, natureza e Educação Infantil. 2005. 249 f. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro/RJ, 2005.

TRAJBER, R.; MENDONÇA, P.R. (orgs). O que dizem as escolas que dizem que fazem Educação Ambiental? Brasília: Ministério da Educação, 2007.

Publicado
2020-05-21
Como Citar
Freitas, N. T. A., & Aparecida Dias Gomes Marin, F. (2020). EDUCAÇÃO AMBIENTAL, CONSUMO E RESÍDUOS SÓLIDOS: AS CONCEPÇÕES DE PROFESSORAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL . Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 17, 13-25. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/ch/article/view/3340