TRABALHO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA ANÁLISE DE PESQUISAS ACADÊMICAS NO PERÍODO DE 2000 A 2016

  • Evanileide Patrícia Lima Figueira PPGE/UNESP
  • Renata Portela Rinaldi UNESP-FCT
Palavras-chave: Trabalho docente, Educação infantil, Pesquisa bibliográfica

Resumo

O Trabalho docente na Educação Infantil, apesar dos avanços alcançados nas últimas décadas, ainda se apresenta como um campo frágil nas pesquisas acadêmicas, com formas de organização e funcionamento que tendem a contribuir para fatores que colaboram para sua precarização, tais como ausência de conhecimentos específicos por parte de muitos profissionais que trabalham com crianças, desvalorização profissional etc. Nesse contexto, temos como objetivo compreender o que revelam as pesquisas acadêmicas sobre o tema no período de 2000-2016. A pesquisa teórica vincula-se a uma pesquisa mais ampla e foi norteada pela abordagem qualitativa, do tipo pesquisa bibliográfica; realizada na base de Dados da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD). Inicialmente os resultados apontaram 216 trabalhos, que, após análise individual, constatou-se apenas 16 vinculados à Educação Infantil. Os resultados evidenciaram a complexidade do trabalho docente, explicitando a necessidade de ampliar as pesquisas a seu respeito nessa etapa de ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Evanileide Patrícia Lima Figueira, PPGE/UNESP
Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus Presidente Prudente/SP, Programa de Pós-Graduação em Educação, Presidente Prudente, São Paulo.
Renata Portela Rinaldi, UNESP-FCT
Docente do Departamento de Educação e Programa de Pós-graduação em Educação. Líder do Grupo de Pesquisa Formação de Professores e Práticas de Ensino na EducaçãoBásica e Superior (GP FPPEEBS)
Publicado
2018-05-23
Como Citar
Figueira, E. P., & Rinaldi, R. (2018). TRABALHO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA ANÁLISE DE PESQUISAS ACADÊMICAS NO PERÍODO DE 2000 A 2016. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 15(2), 75-87. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/ch/article/view/2134