PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE BIOCARVÃO A PARTIR DE BIOSSÓLIDOS ARMAZENADOS EM BAG’s GEOTÊXTEIS NO MUNICÍPIO DE RANCHARIA - SP

Autores

  • Beatriz Regina de Ângelo Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Rafaela Pelegrini Vital Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Marcelo Rodrigo Alves UNOESTE
  • Jaqueline Oliveira da Silva Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Melissa Arantes Pinto Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Daniel Ângelo Macena Universidade Virtual do Estado de São Paulo-UNIVESP
  • Janardelly Gomes de Souza Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE

Palavras-chave:

biossólido; pirólise; biocarvão

Resumo

O lodo de esgoto refere-se a um subproduto rico em nutrientes e matéria orgânica proveniente das estações de tratamento e passou a ser um desafio para vários segmentos de pesquisa encontrar um destino racional e sustentável a esse material. Nesse contexto, a carbonização de biomassa (pelo processo de pirólise) resulta no biocarvão, caracterizado por um material bastante estável, com propriedades físicas e químicas específicas e pode representar uma ferramenta de grande importância para esse desafio. Assim, o objetivo do presente trabalho foi transformar, por processo de pirólise, pequenas porções do biossólido gerado na ETE de Rancharia em biocarvão. Além disso, tanto o biossólido quanto os biocarvões gerados foram submetidos a análises físicas, químicas e estruturais a fim de proceder a suas respectivas caracterizações. A partir das análises, constatou-se o tratamento submetido à temperatura de 550°C como a melhor opção para possíveis aplicações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AREIAS, I. O. R. et al . Incorporação de lodo da estação de tratamento de esgoto (ETE) em cerâmica vermelha. Cerâmica, São Paulo , v. 63, n. 367, p. 343-349, 2017. https://doi.org/10.1590/0366-69132017633672004

ARTUSO, L., F. Produção e Caracterização de Biocarvão de Lodo de Esgoto. Trabalho de Conclusão de Curso – Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE). Presidente Prudente. 47p, 2018.

BETTIOL, W.; CAMARGO, O. A. de. A disposição do lodo de esgoto em solo agrícola. In: BETTIOL, W.; CAMARGO, O. A. de. (Ed.). Lodo de esgoto: impactos ambientais na agricultura. Jaguariúna: Embrapa Meio Ambiente, p.25 36, 2006.

BITTENCOURT, S.; AISSE, M. M.; SERRAT, B. M. Gestão do uso agrícola do lodo de esgoto: estudo de caso do estado do Paraná, Brasil. Eng. Sanit. Ambient., Rio de Janeiro , v. 22, n. 6, p. 1129-1139, 2017. https://doi.org/10.1590/s1413-41522017156260

CONZ, R. Caracterização de matérias primas e biochars para aplicação na agricultura. Dissertação (Mestrado) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”. Piracicaba, 132p, 2015.

FILHO, M., V., P. Compostagem de Lodo de Esgoto para Uso Agrícola. Revista AgroAmbiental, v. 03, n. 03, 2011.

FONSECA, A. de F. C.; PRADO FILHO, J. F. do. Um esquecido marco do saneamento no Brasil : o sistema de águas e esgotos de Ouro Preto (1887-1890). História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 17, p. 51-60, 2010. ttps://doi.org/10.1590/S0104-59702010000100004

MAHADAL, S. et al. Avaliação agronômica de um biossólido na produtividade da couve. Revista Tecno-Lógica, v. 20, n. 2, 2016. https://doi.org/10.17058/tecnolog.v20i2.6500

PEDROZA, J. P. et al . Produção e componentes do algodoeiro herbáceo em função da aplicação de biossólidos. Rev. bras. eng. agríc. ambient., Campina Grande , v. 7, n. 3, p. 483-488, 2003. https://doi.org/10.1590/S1415-43662003000300013

PEREIRA, J., R., C. Potencial do Biocarvão para a Produção de milho e Melhoria da Qualidade do Solo. Pós Graduação – Universidade de Pernambuco. Petrolina – PE., 91p, 2019.

PIEPER, K., M., C. Avaliação do uso de geossintético para o deságue e geoconcentração de resíduos sólidos de estação de tratamento de água. Dissertação de mestrado. Programa de pós-graduação de engenharia civil: UFRGS. Porto Alegre, 2008.

PIRES, A. M. M. AmbienteBrasil. Lodo de Esgoto. sd. Disponível em: <http://ambientes.ambientebrasil.com.br/residuos/artigos/lodo_de_esgoto.html>.
PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE RANCHARIA. Rancharia/Dados Gerais. Governo de Rancharia, 2009. Disponível em: <http://rancharia.sp.gov.br>.

REDAÇÃO. EcoDebate. Uso de lodo de esgoto na agricultura requer cuidados. 2009. Disponível em: <https://www.ecodebate.com.br/2009/10/18/uso-de-lodo-de-esgoto-na-agricultura-requer-cuidados/>.

RIGO, M., M. et al. Destinação e reuso na agricultura do lodo de esgoto derivado do tratamento de águas residuárias domésticas no Brasil. Revista Gaia Scientia, v. 8, 2014.

SONG, X. D.; XUE, X. Y.; CHEN, D. Z.; HE, P. J.; DAI, X. H. Application of biochar from sewage sludge to plant cultivation: Influence of pyrolysis temperature and biochar-to-soil ratio on yield and heavy metal accumulation. Chemosphere, v. 109, p. 213-220, 2014. https://doi.org/10.1016/j.chemosphere.2014.01.070

Publicado

2019-11-26

Como Citar

Regina de Ângelo, B., Pelegrini Vital, R., Rodrigo Alves, M., Oliveira da Silva, J., Arantes Pinto, M., Ângelo Macena, D., & Gomes de Souza, J. (2019). PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE BIOCARVÃO A PARTIR DE BIOSSÓLIDOS ARMAZENADOS EM BAG’s GEOTÊXTEIS NO MUNICÍPIO DE RANCHARIA - SP. Colloquium Exactarum. ISSN: 2178-8332, 11(4), 142-155. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/ce/article/view/3277