DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DOS AFLUENTES DO CÓRREGO DO LAJEADO NO MUNÍCIPIO DE PIRAPOZINHO – SP

Autores

  • Melissa Arantes Pinto Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Vitória Marta Venancio Rodrigues Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Bianca Soares de Souza Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Yeda Ruiz Maria Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Elson Mendonça Felici UNOESTE
  • Nelissa Garcia Balarim Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Isabela Marega Rigolin Fuzeto Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Rafael Medeiros Hespanhol Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Luciana Machado Guaberto Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE

Palavras-chave:

Diagnóstico ambiental; Análises laboratoriais; Microbacia.

Resumo

O diagnóstico ambiental da microbacia dos afluentes do Córrego do Lajeado no município de Pirapozinho/SP é um estudo que avaliará as características do meio natural, bem como as interações e interferências causadas pelas atividades antrópicas no meio ambiente, e quais os impactos resultantes dessas ações. Essa caracterização será feita através de levantamentos visuais no local, análises laboratoriais e buscas na literatura, que possibilitem uma melhor compreensão do comportamento de uma microbacia diante dos fatores externos. Neste sentido, avaliam-se procedimentos como uso e ocupação do solo, qualidade da água, valoração do ambiente, desenvolvimento de áreas vegetativas, qualificação do solo, entre outros aspectos. Com isso a interpretação da qualidade dos recursos naturais levantados e suas interferências irão subsidiar uma avaliação de quais impactos identificados são passíveis de medidas mitigadoras a fim de empregar na área as tecnologias de recuperação e melhoramento necessárias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGÊNCIA DAS BACIA PCJ. Cobrança pelo uso da água. 2018. Disponível em: <http://www.agenciapcj.org.br/novo/instrumentos-de-gestao/cobranca-pelo-uso-da-agua>. Acesso em: 14 nov. 2018.

ALEIXO, E. Qual a importância da valoração ambiental?. Aleixo Engenharia. 2017. Disponível em: <http://eduardoaleixo.com.br/blog/qual-a-importancia-da-valoracao-ambiental/>. Acesso em: 09 nov. 2018.

AMERICAN PUBLIC HEALTH ASSOCIATION. Standard Methods for The Examination of Water & Wastewater – 21st Edition. Washington: APHA, 2005.
ANTONIO ROBERTO FAVA. Estudo revela efeitos do uso inadequado de solos. Unicamp hoje, Universidade Estadual de Campinas, 25 à 31 ago. 2003. Disponível em <http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/jornalPDF/226-11.pdf>. Acesso em: 15 set. 2018.

BRASIL. Presidência da República. Lei N° 12.651, de 25 de maio de 2012. DISPÕE SOBRE A PROTEÇÃO DA VEGETAÇÃO NATIVA; ALTERA AS LEIS NºS 6.938, DE 31 DE AGOSTO DE 1981, 9.393, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1996, E 11.428, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2006; REVOGA AS LEIS NºS 4.771, DE 15 DE SETEMBRO DE 1965, E 7.754, DE 14 DE ABRIL DE 1989, E A MEDIDA PROVISÓRIA Nº 2.166-67, DE 24 DE AGOSTO DE 2001; E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. Casa Civil, Brasília, DF, 25 mai. 2012. Legislativo. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm>. Acesso em: 28 set. 2018.

CASTRO, M.N.; CASTRO, R.M.; SOUZA, P.C. de. A importância da mata ciliar no contexto da conservação do solo. Revista Eletrônica de Educação da Faculdade Araguaia, 4: 230-241.

CBH – PP. Comitê da Bacia Hidrográfica do Pontal do Paranapanema. 2016. Disponível em: <http://cbhpp.org/publicacoes-2/>. Acesso em: 11 nov. 2018.

DIAS J. A. A análise sedimentar e o conhecimento dos sistemas marinhos. Universidade do Algarve – Faro, p. 2-9. 2004.
Disponível em: <http://www.cati.sp.gov.br/conselhos/arquivos_mun/434_10_02_2011_PirapozinhoPMDRS.pdf>.Acesso em: 20 out. 2018.

EMBRAPA. Código florestal: adequação ambiental da paisagem rural. 2017. Disponível em: <https://www.embrapa.br/codigo-florestal/entenda-o-codigo-florestal/area-de-preservacao-permanente>. Acesso em: 08 nov. 2018.

FILHO, E. M. C.; SATORELLI, P. A. R. Guia de árvores com valor econômico. 1. ed. São Paulo: Ipsis Gráfica e Editora, 2015 . Disponível em: <https://www.inputbrasil.org/wpcontent/uploads/2015/11/Guia_de_arvores_com_valor_economico_Agroicone.pdf> . Acesso em: 05 nov. 2018.

FLORA ORIGINAL. A importância do diagnóstico ambiental nos estudos de impacto ambiental. Disponível em: <http://floraoriginal.com.br/index.php/noticias/39-destaques/122-a-importancia-do-diagnostico-ambiental-nos-estudos-de-impacto-ambiental>. Acesso em: 12 out. 2018.

HONDA, S. C. A. L., VIEIRA, M. C., ALBANO, M. P., & MARIA, Y. R. Planejamento ambiental e ocupação do solo urbano em Presidente Prudente (SP). urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana (Brazilian Journal of Urban Management), 2015 jan./abr., 7(1), p. 62-73. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/urbe/v7n1/2175-3369-urbe-7-1-0062.pdf. Acesso em: 22 de out. 2018. https://doi.org/10.1590/2175-3369.007.001.AO04

INSTITUTO DE ECONOMIA AGRÍCOLA. Valor de terra nua. Disponível em: <http://ciagri.iea.sp.gov.br/nia1/precor_SEFAZ.aspx?cod_tipo=1&cod_sis=8>. Acesso em: 05 nov. 2018.

IRRIGART – Engenharia e Consultoria em Recursos Hídricos e Meio Ambiente Ltda. Atualização do plano de bacia da unidade de gerenciamento dos recursos hídricos do Pontal do Paranapanema – UGRHI 22. 2014.
JANTSCH, R. Os 5 principais métodos de avaliação de imóveis. Educar Imóveis. 2016. Disponível em: <http://educarimoveis.com.br/2016/09/metodos-avaliacao-de-imoveis/>. Acesso em: 09 nov. 2018.

LÓGICA AMBIENTAL. Bacia hidrográfica e a importância de sua conservação. Disponível em: <http://www.logicambiental.com.br/bacia-hidrografica-e-a-importancia-de-sua-conservacao/>. Acesso em: 12 out. 2018.

LOPES, A.M.D´Ávila.; TASSIGNY, M.M.; TEIXEIRA, D.M. A redução das áreas de preservação permanente de recursos hídricos pelo novo código florestal e o princípio da proibição proteção deficiente. R. Fac. Dir. UFG, v. 41, n.1, p. 46-65, jan. / jun. 2017. https://doi.org/10.5216/rfd.v41i1.42049

MATOS, R. de J. Estudo biogeográfico do alto curso do Rio Santo Anastácio: análise comparativa da qualidade da água em canais de terceira ordem. 2014. xx, 210 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Tecnologia, 2014. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/131986>. Acesso em: 21 out. 2018.

MOTTA, R. da S. Manual para valoração econômica de recursos ambientais. Rio de Janeiro: CEMA/IPEA/COBIO/MMA, 1997. Disponível em: < http://www.terrabrasilis.org.br/ecotecadigital/pdf/manual-para-valoracao-economica-de-recursos-ambientais.pdf>. Acesso em: 09 nov. 2018.

PORTAL EDUCAÇÃO. O que é diagnóstico ambiental? . Disponível em: <https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/biologia/o-que-e-diagnostico-ambiental/61822>. Acesso em: 12 out. 2018.

TORO RADAR. O que é IPCA?. 2018. Disponível em: <https://www.tororadar.com.br/investimento/bovespa/o-que-e-ipca-e-inflacao-acumulada>. Acesso em: 12 nov. 2018.

Publicado

2019-11-26

Como Citar

Arantes Pinto, M., Marta Venancio Rodrigues, V., Soares de Souza, B., Ruiz Maria, Y., Felici, E. M., Garcia Balarim, N., Marega Rigolin Fuzeto, I., Medeiros Hespanhol , R., & Machado Guaberto, L. (2019). DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DOS AFLUENTES DO CÓRREGO DO LAJEADO NO MUNÍCIPIO DE PIRAPOZINHO – SP. Colloquium Exactarum. ISSN: 2178-8332, 11(4), 104-121. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/ce/article/view/3276

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 > >>