O CLIMA URBANO DE FEIRA DE SANTANA – BA ATRAVÉS DA TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE E DO ÍNDICE DE VEGETAÇÃO POR DIFERENÇA NORMALIZADA - NDVI

Autores

  • Jovana Mariano Damasceno Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” - UNESP
  • Margarete Cristiane de Costa Trindade Am Universidade do Oeste Paulista – Unoeste

Resumo

O uso de técnicas de sensoriamento remoto para estudos direcionados ao clima urbano tem avançado nos últimos anos. Nesse sentido, o objetivo deste estudo foi identificar a influência exercida pelos diferentes usos e coberturas da terra na estrutura térmica da superfície urbana de Feira de Santana- BA. Para e elaboração da carta de temperatura da superfície foram utilizados cálculos para conversão de valores digitais da imagem do satélite Landsat 8, para temperatura em graus Celsius (° C) no software Idrisi. O mapeamento da vegetação foi elaborado pelo cálculo do índice de vegetação de diferença normalizada (NDVI), no mesmo software. Analisando os resultados foi possível perceber que as maiores temperaturas da superfície estão diretamente relacionadas ao uso da terra e que a vegetação é fundamental na amenização destas temperaturas. Deste modo, o sensoriamento remoto é uma ferramenta muito útil aos estudos de clima urbano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-12-19

Como Citar

Mariano Damasceno, J., & Cristiane de Costa Trindade Am, M. (2018). O CLIMA URBANO DE FEIRA DE SANTANA – BA ATRAVÉS DA TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE E DO ÍNDICE DE VEGETAÇÃO POR DIFERENÇA NORMALIZADA - NDVI. Colloquium Exactarum. ISSN: 2178-8332, 10(3), 94–98. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/ce/article/view/2752