DESEMPENHO GERMINATIVO DE SEMENTES DE SOJA REVESTIDAS COM POLÍMEROS HIDROFÍLICOS

  • Marina Scarsi
  • Jean Carlo Possenti
  • Renata Paula Herrera Brandelero
  • Cristiane Deuner UTFPR
Palavras-chave: Glycine max; recobrimento, qualidade fisiológica

Resumo

O uso de polímeros biodegradáveis e biocompatíveis no revestimento de sementes tem se tornado importante devido às suas propriedades biológicas desejáveis e renováveis. O presente estudo teve como objetivo avaliar o efeito de polímeros hidrofílicos sobre a embebição e atributos fisiológicos de sementes de soja, cultivar NK 7059 RR. As sementes foram submetidas ao revestimento com os polímeros amido de mandioca, alginato de sódio e álcool polivinílico em quatro concentrações, sendo 0, 2, 4 e 6%. A embebição foi avaliada em intervalos de três horas durante 24 horas, totalizando oito avaliações. Para a qualidade fisiológica as sementes foram submetidas aos testes de primeira contagem de germinação, germinação, índice de velocidade de germinação, envelhecimento acelerado, emergência em casa de vegetação, índice de velocidade de emergência e condutividade elétrica. Os polímeros utilizados no presente estudo aumentam o percentual de embebição das sementes, principalmente o alginato de sódio na concentração de 4%. O revestimento com alginato de sódio afeta a qualidade fisiológica das sementes. De maneira geral, quanto maior a concentração dos polímeros, maior a interferência negativa no desempenho fisiológico das sementes.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-06-03
Como Citar
Scarsi, M., Possenti, J. C., Herrera Brandelero, R. P., & Deuner, C. (2020). DESEMPENHO GERMINATIVO DE SEMENTES DE SOJA REVESTIDAS COM POLÍMEROS HIDROFÍLICOS. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 16(3), 48-59. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/ca/article/view/3354