CARBONO ORGÂNICO E ATRIBUTOS FÍSICOS DO SOLO SOB MANEJO AGROPECUÁRIO SUSTENTÁVEL NA AMAZÔNIA LEGAL

  • Agust Sales Universidade Federal de Viçosa
  • Arystides Resende Silva EMBRAPA Amazônia Oriental
  • Carlos Alberto Costa Veloso EMBRAPA Amazônia Oriental
  • Eduardo Jorge Maklouf Carvalho EMBRAPA Amazônia Oriental
  • Bárbara Maia Miranda Universidade do Estado do Pará
Palavras-chave: Agrossilvicultura. Amazônia. Matéria orgânica do solo. Qualidade física do solo. Sistema conservacionista

Resumo

Estudos visando elevar a qualidade dos solos da Amazônia têm crescido na última década em virtude de seu uso inadequado pode limitar a capacidade de sua produção. Na Região Amazônica, pesquisas demonstram que a agropecuária contribui com o aumento de áreas degradadas correlacionadas ao desflorestamento, no entanto, essa prática possui considerável importância na economia. Portanto o objetivo deste trabalho foi avaliar os níveis de densidade, porosidade total, macroporosidade e microporosidade, os teores de carbono orgânico e quantificar o estoque de carbono nas camadas no perfil do solo em um sistema de iLPF e em sistemas convencionais no município de Paragominas, Pará. Foi utilizado um delineamento inteiramente casualizado, com três repetições, em esquema de parcela subdividida com quatro parcelas (sistemas de manejo do solo) e sete subparcelas (camadas do solo). As parcelas foram compostas por: sistema iLPF-Paricá, lavoura com plantio convencional de milho (PM), pastagem manejada com criação de gado de corte em sistema extensivo (PE) e como testemunha uma floresta secundária (FS). As subparcelas foram as profundidades de amostragem: 0-10, 10-20, 20-30, 30-40, 40-60, 60-80 e 80-100 cm. O sistema de integração iLPF-Paricá, aos cinco anos de cultivo, melhorou as condições físicas de densidade e porosidade do solo, além dos teores e estoques de carbono orgânico nas camadas subsuperficiais. O PM promoveu aumento da densidade do solo e perda de porosidade total e microporosidade em profundidade, mas apresentou teores e estoques de carbono orgânico similar ao sistema de integração Lavoura-Pecuária-Floresta. A pastagem demonstrou teores e estoques de carbono orgânico semelhante à floresta secundária, porém, indicou redução de macroporosidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Agust Sales, Universidade Federal de Viçosa
Engenheiro Florestal pela Universidade do Estado do Pará (2017). Atualmente é Mestrando em Ciência Florestal pela Universidade Federal de Viçosa UFV. Engenheiro Florestal Trainee pelo Grupo Arboris. Atua em diversos ramos do setor agroflorestal, desde o manejo florestal e reflorestamento até tecnologia e industrialização de produtos madeireiros, e também no cultivo de grãos.
Arystides Resende Silva, EMBRAPA Amazônia Oriental
Graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Lavras (2001), mestrado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal de Lavras (2003) e doutorado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal de Lavras (2006). Atualmente é Pesquisador A da EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL, atuando na área de Solos, com ênfase em Física do Solo, Manejo e Conservação do Solo e na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, faço parte da equipe dos trabalhos de sistema de produção como Integração Lavoura-pecuária-Floresta - iLPF, Plantio Direto e Florestas Energéticas.
Carlos Alberto Costa Veloso, EMBRAPA Amazônia Oriental
Possui graduação em Agronomia pela Universidade Estadual do Maranhão (1974), mestrado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal de Viçosa (1978) e doutorado em Agronomia pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (1993). Atualmente é pesquisador-A da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fertilidade do Solo e Nutrição Mineral de Plantas, atuando principalmente nos seguintes temas: correção da acidez do solo, avaliação de deficiências minerais em plantas, manejo da fertilidade do solo, sistema plantio direto e lavoura pecuária floresta, arroz, caupi, milho, soja citrus, café, piper nigrum, macronutrientes, nutrição mineral e fertilizantes.
Eduardo Jorge Maklouf Carvalho, EMBRAPA Amazônia Oriental
EDUARDO JORGE MAKLOUF CARVALHO CONCLUIU O DOUTORADO EM SOLOS E NUTRICAO DE PLANTAS PELA ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ EM 1995. É PESQUISADOR A DA EMBRAPA AMAZÕNIA ORIENTAL. PUBLICOU 22 ARTIGOS EM PERIODICOS ESPECIALIZADOS. ATUA NA AREA DE AGRONOMIA, COM ENFASE EM FISICA DO SOLO. EM SUAS ATIVIDADES PROFISSIONAIS INTERAGIU COM 30 COLABORADORES EM CO-AUTORIAS DE TRABALHOS CIENTIFICOS. EM SEU CURRICULO LATTES OS TERMOS MAIS FREQUENTES NA CONTEXTUALIZACAO DA PRODUCAO CIENTIFICA, TECNOLOGICA E ARTISTICO-CULTURAL SAO: SOLOS, MANEJO DE SOLOS, FISICA DO SOLO, NUTRICAO MINERAL, ADUBACAO, CLASSIFICACAO,MATERIA ORGANICA, ABSORCAO, AMAZONIA, E FERTILIDADE.
Bárbara Maia Miranda, Universidade do Estado do Pará
Graduanda do Curso de Engenharia Florestal pela Universidade do Estado do Pará. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal.
Publicado
2018-05-04
Como Citar
Sales, A., Silva, A. R., Veloso, C. A. C., Carvalho, E. J. M., & Miranda, B. M. (2018). CARBONO ORGÂNICO E ATRIBUTOS FÍSICOS DO SOLO SOB MANEJO AGROPECUÁRIO SUSTENTÁVEL NA AMAZÔNIA LEGAL. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 14(1), 01-15. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/ca/article/view/1989